O lado obscuro [Resenha Literária]


"A vida é curta demais para escondermos nossos erros.."

Tarryn Fisher se superou novamente! Uauuuu!! 

Essa foi praticamente a minha resposta depois de terminar a leitura de O Lado Obscuro. Apenas Uau! Eu nem sabia o que dizer sobre isso, e alguns dias depois de terminá-lo também não. O que eu poderia dizer que transmitisse adequadamente meus sentimentos sobre este livro? Ele me agarrou, me levou, me manteve cativa pelo poder incrível que transmitia. A quantidade de informações, pistas, verdades, segredos, tudo meio exposto, meio encoberto enquanto a história se desenrolava. É difícil transmitir o que é essa história, mas acho que a melhor e mais sucinta palavra que posso usar é a verdade.

Esta é uma história sobre a Verdade. 

A verdade que não queremos enxergar. A verdade que está atrelada à dor. A verdade que enterramos nos lugares mais obscuros dentro de nós. E, a verdade que encontramos.. muitas vezes, tarde demais.

Senna desperta para um pesadelo da vida real. Ela se vê aprisionada sem correntes, mas trancada em uma cabana envolta em neve, presa com uma pessoa de seu passado que inflama velhos sentimentos que ela pretendia que permanecessem adormecidos. Pistas pouco claras se encontram ao redor deles. O jogo é engenhosamente encenado para eles descobrirem. Há muitas facetas nessa história, fitas do enredo se desenrolando gradualmente e, nesta parte do livro, me vi presa no suspense de sua situação. Eu me vi observando e torcendo. Esperando. Observando as nuances do ambiente, pistas escondidas no subtexto das palavras e se escondendo à vista.
A espera pela morte é a pior forma de tortura que uma pessoa pode imaginar.

Quanto mais eu trabalhava para decifrar o mistério, mais me via intrigada com o enigma que era Senna. Eu estava perdida nela, desvendando suas complexidades para entender melhor sua essência. Ela desafia o normal, deleitando-se com tudo o que difere da sociedade. Ela é escritora. Uma artista. Ela leva o mundo através de uma lente diferente. Ela também é uma das personagens mais trágicas que eu já encontrei no mundo literário. A dor a definiu. O abandono a moldou. Ela destrói antes que algo a encontre . Mas quanto mais eu tentava me desvencilhar, mais me perguntava se talvez estivesse tentando descobrir algo que já havia sido descoberto. Para mim, ela era extremamente vulnerável e inteiramente protegida. Ela trabalhou arduamente para sufocar a soma de suas experiências dolorosas em que ela vivia por trás da névoa de um fino véu, obscurecendo suas emoções. Só houve uma pessoa que conseguiu levantar o nevoeiro e ver através dela.

Dr. Isaac Asterholder. Este é o homem que ela encontra na cabana, o homem do seu passado, o homem que ela afastou. Ele conheceu Senna em um momento de caos e vulnerabilidade, no furioso rescaldo da dor. Ele forçou seu caminho em sua vida, ajudando-a de uma forma que ninguém tinha feito antes.
Para saber quem uma pessoa realmente é, acredito que você primeiro precisa saber quem foi essa pessoa.

No entanto, investigar seu passado não mudou a realidade. Eles eram agora duas pessoas com vidas que divergiram por muito tempo, de repente tão emaranhadas novamente por uma situação que nunca esperavam. Tentando sobreviver a um perigo iminente, um culpado anônimo, as dores da fome e a insanidade do tempo, foi o suficiente para abrir as comportas, trazendo um dilúvio de emoções que Senna tinha trabalhado tanto para reprimir.

O que acontece na cabana e os eventos que levam a ela são para você experimentar. Esses personagens são escritos de maneira brilhante, cada um em sua própria jornada para encontrar sua verdade. Como escritora, Senna precisava da "simplicidade para criar complexidade", mas acho que ela estava tão perdida em sua própria complexidade que não conseguia enxergar a simples verdade à sua frente. Ela ficou paralisada pelo medo - de tantas coisas -, mas também por sentir muito e alguém lhe tirar aquilo. Porque Isaac era sentimento. Ele inundou seus sentidos. E Senna estava com medo de sentir. Sentir significava estar amarrada a alguém, em dívida com algo que ela não podia controlar.
O amor é uma forma de posse: é aquilo que você possui e que lhe foi deixado pelas inúmeras pessoas que passaram pela sua vida.

Este é um dos melhores livros que já li. Absoluta e inegavelmente brilhantemente escrito. A sintaxe, as escolhas de palavras, as camadas e subcamadas de significado tornam impossível não ficar hipnotizado pela história. Para mim, parecia uma experiência multissensorial. Como se eu estivesse entrando em uma toca literária, sem saber se me perdia na beleza dos padrões coloridos, ou se ficava fascinada pelos sons suaves que tremulam à distância, ou me inundava pelo cheiro do ambiente ao seu redor. Eu caminhei com esse livro, da maneira que Tarryn queria. Eu fui cativada por todos os elementos que se juntaram tão perfeitamente. Poderosamente, honestamente, isso só me surpreendeu. Isso é um romance? Não. É um romance que desafia o gênero. É ficção, suspense, romance, mistério, tudo entrelaçado para criar uma história inesquecível sobre descobrir as verdades mais escuras, enlameadas e bem enterradas dentro de nós... o tipo de verdade que preenche uma vida com significado e, finalmente, liberta você.

Passados quase sete dias após o término da leitura ainda me encontro de ressaca literária, tem algum tempo que isso não ocorria. A Faro Editorial, como sempre têm nos presenteado com edições lindíssimas, com uma diagramação perfeita e uma fonte confortável, fica difícil não se apaixonar pelas escolhas das edições e do sucesso estrondoso que tem feito com seus autores. Mais uma vez, obrigada! 

FICHA TÉCNICA

Título: O Lado Obscuro
Autora: Tarryn Fisher 
Nota: 5/5
Onde Comprar: Amazon

 

Natália Silva
Compartilhe no Google Plus

Sobre O que tem na nossa estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

5 comentários:

  1. Não conhecia esse livro, mas amei a capa, ela é lindíssima, eu também gostei desse enredo.
    Mil Beijos!
    https://pensamentosdeumageminiana.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Oi Nat!
    Nao curto muito o gênero mas que bom que o livro te marcou tanto. Bastante tempo pra ainda se ter uma ressaca KKKK.

    Abraços
    David
    http://territoriogeeknerd.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Oiii Natália

    Fiquei muito empolgada com esse livro. Tenho Stalker da Tarryn aqui mas ainda não li, porém ja estava bem curiosa por esse e pelo visto está valento muitooooo a pena conferir. Dica anotada, acho que tb vou gostar, me animou saber que é uma das tuas melhores leituras.

    Beijos, Ivy

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  4. Uau, já fiquei bem curiosa com a história e o suspense. Principalmente por ter te deixado de ressaca. Parece que foi realmente muito boa a leitura!

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oi, Nat!
    Não conhecia esse livro da autora e tua resenha me deixou bastante intrigada. Tenho uma amiga que estava lendo um outro livro da Tarryn e adorou.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir