Um homem entre gigantes [Resenha do Filme]


Um homem entre gigantes é um daqueles filmes sobre esporte que mesmo quem não sabe nada sobre sobre futebol americano acaba se envolvendo completamente!

Em 2002 Mike Webster morre em decorrência de uma vida inteira dedicada a NFL, anos de treinamento constante em que pancadas sucessivas na cabeça eram normais. No entanto, a sequela era maior do que se poderia imaginar e o protocolo sobre o assunto só muda, anos depois que Dr. Bennet Omalu (Will Smith) faz a autópsia de Mike.

Omalu poderia ter feito vista grossa como o seu colega de trabalho, que o detestava devido a seu perfeccionismo, sugeriu, mas o médico não fazia seu trabalho pela metade. Nigeriano, sempre deu sua melhor versão quando chegou aos Estados Unidos, consciente das desconfianças que provavelmente geraria. Um homem sem dúvida perfeccionista e que não se importava muito de ser odiado, desde que pudesse fazer o seu melhor. Omalu era um cientista, com uma grande fé, um investigador nato e por isso, quando se deparou com Mike, um homem que problemas psiquiátricos tão jovem, não desistiu e insistiu em investigar o que tinha acontecido com ele. 


Omalu parte numa busca incessante e começa a analisar melhor os jogos americanos e uso excessivo da violência, instigados principalmente pelos técnicos. É um esporte de contato, onde a força é de extrema importância, mas até então ninguém tinha alertado sobre os problemas de concussões frequentes. O protagonista quando descobriu as sequelas que a concussão fazia acreditou que estava ajudando a NFL a lidar com o problema, mas não imaginou que entraria em guerra com uma das instituições mais poderosas dos Estados Unidos. NFL é comparada inclusive à igreja, já que assim como ela, tem um dia dedicado somente ao futebol americano.

A verdade é que o médico não sabia dos problemas que enfrentaria, a NFL demorou anos para aceitar a descoberta de Omalu, enquanto isso vários jogadores se suicidavam em decorrência da depressão, demência ou em decorrência de Alzheimer precoce. Os números são assustadores e o protagonista mesmo com a ajuda de gente importante como seu chefe e um ex médico da NFL, Dr. Julian (Alec Baldwin), tem dificuldade de ser escutado. Omalu é ameaçado de morte e tudo passa a dar errado em sua vida, graças ao poder do futebol americano.


Mexer com grandes instituições é difícil, o dinheiro sempre fala mais alto e Omalu vai descobrir isso da pior maneira. NFL age da mesma forma que as indústrias de cigarros, fingem que os problemas de saúde não estão relacionados com eles. 

O longa tem um história real incrível, e Will Smith está excelente como protagonista. É difícil ver antigos jogadores com tantos problemas de saúde e não se lamentar por eles e a batalha que Omalu trava é de emocionar. Um homem entre gigantes é um daqueles filmes, disponíveis até o momento na Netflix, que merecia uma maior destaque.

Trailer


FICHA TÉCNICA

Título: Um homem entre gigantes
Título Original: Concussion
Direção: Peter Landesman
Data de lançamento: 3 de março de 2016
Nota 5/5

Michele Lima
Compartilhe no Google Plus

Sobre O que tem na nossa estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

5 comentários:

  1. Oi Mi! O pessoal se prende ao espetáculo do esporte e muitas vezes não nota que por trás há muito mais e nem sempre algo bonito. Gostei muito da dica do filme e com certeza vou conferir. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  2. Oi Mi,

    Já ouvi falar muito bem desse filme. Na verdade eu particularmente adoro os filmes que tem o will Smith.
    Mas achei o tema dos esportes e os efeitos negativos que pode ter muito interessante, pois é algo que você não se vê sendo abordado por ai.

    Bjs e um bom fim de semana!
    Diário dos Livros
    Conheça o Instagram

    ResponderExcluir
  3. Michele, não conhecia esse filme, mas fiquei curiosa em assistir. Não sou ligada em esportes, mas esse como conta dos efeitos negativos, já quero ver!

    Beijo!
    Cores do Vício

    ResponderExcluir
  4. Oi Mi!!

    Que resenha linda, para uma história tão emocionante. Conferi o filme depois de sua dica! E realmente, como uma indústria tem tanto poder assim né?

    Beijos
    Naty

    ResponderExcluir
  5. Olá
    Eu vi esse filme junto com o meu marido. No começo, fiquei meio de nariz virado, achava que não era meu tipo de filme e tal (e nem é muito mesmo), mas acabei encontrando um filme emocionante sobre a força de vontade de um homem e o poder da NFL.

    Vidas em Preto e Branco

    ResponderExcluir