Aladdin [Resenha do Filme]


Uma das minhas animações preferidas da Disney é Aladdin, quando assisti pela primeira vez fiquei encantada com o gênio, com o mundo mágico e com a Jasmine! E quando soube do live-action achei que seria algo como foi com A bela e a Fera, só que Aladdin se moderniza ao modificar um poucos as músicas, traz o politicamente correto e dá mais espaço para a princesa. Mudanças talvez sutis, mas significativas. 

Aladdin é um rapaz pobre que rouba para viver na companhia do seu macaco Abu. Um dia o protagonista ajuda Jasmine que se envolve numa confusão ao fugir do palácio. O protagonista não sabe a princípio que ela é uma princesa, mas ao descobrir, percebe que jamais poderá ficar com sua amada devido as diferenças sociais. Jasmine precisa se casar com um príncipe, mas a princesa na verdade quer governar o reino sem precisar de um marido. Infelizmente, seu pai não aceita, sendo o sultão bastante influenciado pelo vilão Jafar.


Jafar usa Aladdin para conseguir uma lâmpada mágica e assim conquistar o trono, mas o protagonista fica com a lâmpada e usa os poderes do gênio para fingir ser um príncipe e se casar com Jasmine. Claro que as coisas não saem como ele quer, mas ao longo dessa jornada temos uma amizade muito bonita entre o gênio e o Aladdin, que promete libertá-lo em seu último desejo.

Muito se reclamou de Will Smith azul, mas o produto final ficou muito bom. O ator se sai muito bem na comédia, sendo sarcástico e exagerado muitas vezes. A escolha de Naomi Scott para Jasmine também foi um grande acerto, bem como Mena Massoud para Aladdin. Já o Jafar de Marwan Kenzari é bastante caricato. 


O longa dá voz a Jasmine que ganha mais destaque, mais personalidade e a história ainda acrescenta alguns detalhes a mais comparado ao original, o que dá uma base melhor para a história dos personagens. O figurino é lindo, colorido, as canções se encaixam bem nas cenas, embora em alguns momentos lembre filmes bollywoodianos. É fácil reconhecer o estilo do diretor Guy Ritchie nas coreografias das cenas de ação, sempre bem dinâmicas.

Aladdin retrata o mundo árabe de modo ainda generalizado, mas de maneira respeitosa, sendo bem fiel a animação, embora não exatamente uma cópia, o que foi bem positivo. É um longa infantil, assim como o original, com seu toque mágico, divertido, com empoderamento feminino.

Trailer


FICHA TÉCNICA

Título: Aladdin
Diretor: Guy Ritchie
Data de lançamento: 23 de maio de 2019
Nota: 5/5
Disney

Michele Lima
Compartilhe no Google Plus

Sobre O que tem na nossa estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

6 comentários:

  1. Oi
    que bom que gostou do filme e do elenco em suas cenas, quero muito assistir esse filme, gosto de Aladdin, quero muito assistir esse filme.

    http://momentocrivelli.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Adorei o destaque para a voz da Jasmine e essas mudanças sutis fizeram mesmo a diferença para uma obra ainda mais bacana para a nova geração. Amei a resenha!

    semquases.com

    ResponderExcluir
  3. Oi Mi,
    Eu amei demais esse filme, estou com a trilha sonora no Spotify no repeat.
    ADOREI a Jasmine e o Will como gênio, os melhores do filme, me deixaram arrepiada!
    Beeeijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Oi, Mi

    Eu já não curto muito a animação, é uma das que menos gosto, mas vou conferir na quarta-feira, acho. Estou animada é para Rei Leão e Mulan.

    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  5. Quero muito assistir. Adorei conhecer mais das mudanças do live-action.
    Boa semana!

    Jovem Jornalista
    Fanpage
    Instagram

    Até mais, Emerson Garcia

    ResponderExcluir