Entrevista com Gaby Brandalise, autora de Pule, Kim Joo So!


Gaby Brandalise é jornalista e escritora. Além disso ela é a autora do livro “Pule, Kim Joo So” que foi lançado pela Verus Editora. Começou escrevendo fanfictions de cantores, bandas e seriados. Depois, partiu para romances, crônicas, artigos, poemas e até músicas.

Gaby é casada, tem um canal no YouTube e um gatinho lindo, cinza e meio velho, chamado Gandalf e, assim como eu, ela é viciada em dramas coreanos e K-pop.

Quando a Michele (Redatora do blog) falou do livro da Gaby, que eu iria gostar dele, eu corri para conhecer mais dela e do livro. E posso dizer que adorei o jeito dela! Muito autêntica e sem contar que tem um bom gosto para doramas e MV’s! Por causa disso, ela foi uma das primeiras autoras brasileiras que eu pensei para essa segunda temporada de entrevistas. E eu fiquei super feliz quando ela aceitou! 

Confira:

Em Pule, Kim Joo So, Marina é uma protagonista forte e determinada, ela foi inspirada em alguém?

A resposta para essa pergunta é também a resposta de outra questão que recebo com frequência de pessoas que me seguem, que é: Como torno meus personagens convincentes e interessantes?

Sempre que escrevo uma história, elaboro personagens que vão servir à narrativa que estou criando. Na prática, isso quer dizer personagens que são o que precisam ser para fazer a narrativa andar. Em Pule, Kim Joo So o protagonista precisa fechar a sua jornada, que é cheia de obstáculos e reviravoltas. Mas ele só conseguirá se tiver Marina ao seu lado. Ela é o motor de So. É a lanterna que o permite ver na neblina em que ele se encontra.

E para que Marina pudesse desempenhar tudo isso, ela precisaria ter motivos para querer sair do lugar em que está, sair do momento da vida em que ela estacou. Em outras palavras, Marina é forte e muito sofrida porque, se fosse medrosa, ou uma jornalista realizada com o emprego, ou uma mãe afetuosa de gêmeos etc, não poderia assumir o risco de tomar um caminho incerto como o que So estava propondo. E portanto, não seria capaz de tornar as decisões difíceis, porém necessárias, que a história impõe.

Então, se as motivações de um personagem estiverem ligadas à narrativa, fica mais fácil de fazer o leitor compreender a importância desse personagem pra história e, assim, de se identificar com ele. 

Pule, Kim Joo So tem um enredo original e diferente. Como surgiu a ideia da história?

Muitos leitores já me perguntaram se me inspirei em doramas como W e até Heirs. Acho natural a associação, mas acreditem ou não, esses doramas ficaram de fora dessa vez.

A ideia de escrever Pule, Kim Joo So começou sem dúvida pela minha paixão pelos doramas e a vontade doida que sentia de trazer um pouco do estilo narrativo da Coreia para meu texto. Foi aí que finalmente achei utilidade para uma cena que eu tinha há algum tempo na cabeça e que seria o ponto de partida para criar a trama: uma mulher brasileira encontra um homem coreano assustado e machucado no banheiro do aeroporto da cidade em que ela mora.

O problema dessa cena é que ela não me dizia mais nada. Era só esse quadro que eu tinha. Por isso, o que fiz em seguida foi me perguntar quem era o meu protagonista ao ler o texto “O que é um autor”, de Foucalt. Conectei-o com o meu dorama favorito na mesma hora.

Dorama esse, aliás, que é uma das produções mais incríveis que eu já assisti: Kill Me Heal Me. Assisti a este drama há mais de um ano, e até hoje tenho a impressão de que estou roubando aspectos dele sempre que sento pra criar qualquer ficção. Em Kill Me Heal Me, a fantasia não vem de mundos paralelos ou poderes ou poderes mágicos, mas é criada a partir do sofrimento intenso dos personagens. Foi o que me fascinou quando via a primeira vez. Somado a tudo isso, decidi brincar um pouco com os clichês que eu conhecia das histórias ocidentais, misturando esse conteúdo com o que eu tinha aprendido lendo e estudando sobre os roteiros dos dramas coreanos. Ah! E o nome do meu personagem, So, é uma homenagem ao protagonista de Moon Lovers- Scarlet Heart Ryeo.


Pelo que vejo de você em suas redes sociais, você ama doramas. Quais são seus 5 doramas favoritos?

Kill Me Heal Me, Moon Lovers – Scarlet Heart Ryeo, Another Oh Rae Young, Reply 1988 e Faith.

Você assim como eu ama o grupo coreano BTS e foi no show deles no Allianz Parque. Como surgiu essa paixão por eles? E além deles quais são seus outros grupos de k-pop favoritos?

O BTS foi o segundo grupo que conheci no kpop. O que fez eu me apaixonar foi o MV de Dope. Fiquei ensandecida com a coreografia, a energia, o carisma do grupo e, não vou mentir, com Jungkook vestido de policial. Eu achei tudo apaixonante, queria saber mais sobre aqueles meninos e que outras músicas já tinham feito. O segundo MV foi Save Me, que terminou de me enterrar.

O BTS tem algo que é viciante. Qualquer coisa que eles façam. Prende, empolga, transporta você para um outro universo. E nesse universo, há mais calor e também alegria, mas aquela alegria leve, despretensiosa, que não tem a ver com muitos seguidores, dinheiro e fama, mas sim com amigos verdadeiros, comidas gostosas e carinho de quem a gente gosta. É quase como ler um livro que você ama muito. Você não quer que acabe porque não consegue mais viver sem aqueles personagens.

Além disso, artisticamente, o BTS trás quase sempre uma melancolia, que dá uma densidade interessante para os conceitos dos álbuns e MV’s. Sempre tem algo que inquieta. Gosto muito disso no trabalho do grupo.


E para finalizar, quais são seus próximos projetos?

Estou terminando um livro com a Midori que será lançado em breve. Não vejo a hora de ele estar nas livrarias e saber o que todo mundo achou. Estou muito, muito ansiosa.

Essa foi a entrevista com Gaby que nós fizemos, foi muito legal conhecer mais sobre ela e mais do processo do livro Pule, Kim Joo So que é um livro bem envolvente e que lemos em um dia.

Assim como a Gaby, estou ansiosa para o seu novo livro chegar nas livrarias para eu poder adquirir o meu exemplar. E para finalizar segue o link do canal da autora no YouTube, para vocês conhecerem mais dela e seu trabalho, eu mesma amo os vídeos dela. Além disso fica aqui o meu MUITO OBRIGADA para a Gaby, pois além de responder as nossas perguntas, ela nos enviou fotos de seu acervo pessoal para a entrevista!

www.youtube.com/gabybrandalise

Ariane de Freitas

Compartilhe no Google Plus

Sobre O que tem na nossa estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

4 comentários:

  1. Nem tinha ouvido falar desse livro dela. Muito interessante. Gostei de ver como ela falou dos personagens e da história. Ela parece ter uma escrita ótima.

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi Ariane, este livro está nos meus desejados para ler, adorei a entrevista e eu também sou fã de doramas!
    Muito amor!! <3

    Beijos Mila

    Daily of Books Mila

    ResponderExcluir
  3. Que entrevista incrível, ainda não conhecia o trabalho dela, que bom que você nos apresentou porque esse livro parece ser maravilhoso!

    https://www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  4. Oi, Mi!
    Eu li esse livro e achei bem fofo, mas confesso que fiquei meio perdida nesse mundo dos doramas e tudo mais hahahaha
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir