A Criança do Fogo [Resenha Literária]


Em A Criança do Fogo eu pude experimentar várias sensações como medo, ansiedade, angústia, raiva, repulsa. São muitas emoções para uma ficção e eu sinceramente não sei se é suspense ou terror, porque tem os dois elementos na história de Rachel, uma jovem de 30 anos que se casa com David, rico advogado dono de uma grande propriedade, Carnhallow, na Cornualha ocidental.

Ao mesmo tempo em que está encantada por ser a dona de uma casa tão linda e imponente, Rachel fica intrigada com todas as histórias tristes que envolvem as minas exploradas pela família Kerthen de David durante muitos anos, como as ruínas da mina Morvellan, onde a primeira esposa de David caiu e desapareceu nas águas profundas da mina abandonada.

Jaime, filho de David e Nina é uma criança de oito anos, despedaçada pela morte da mãe, se sente culpado pela morte e ressentido pela ausência do pai que está sempre trabalhando. 


Rachel tem que continuar a reformar a casa, era o que Nina estava fazendo quando caiu na mina, mas o ar de mistério cobre a sua morte e deixa Rachel inquieta e Jaime, em sua maneira estranha de agir, solta frases de impacto nos momentos mais estranhos e está deixando Rachel inquieta, insegura, com medo.

David não quer que o filho seja tratado por psicólogos, ele não acredita que possa ajudar, já que um terapeuta deu a ideia de Jaime escrever cartas para a mãe morta, e as cartas se tornaram mais perturbadoras do que ajudaram o menino.

No entanto, Rachel não quer ouvir o marido e levar Jaime ao psicólogo desencadeia uma série de eventos que separam a família e que podem destruir todos os sonhos deles e a estabilidade emocional de Jaime. Ele está realmente vendo a mãe morta, ele é realmente uma criança que tem premonições ou ele apenas está tentando assustar Rachel? Ou é ela quem está louca? No passado a loucura quase a alcançou e ela tem que lutar para quem ninguém descubra a sua mentira.


A princípio eu achei a leitura um pouco cansativa, lenta, muitas descrições da paisagem em volta da imponente casa me cansou um pouco. Os personagens à medida que a leitura evolui perdem um pouco o charme pela falta de caráter e pelo egoísmo, mas no geral é um bom suspense com um final que eu realmente não podia imaginar. Surpreendente!

FICHA TÉCNICA

Titulo: A criança do fogo
Autora: S.K. Tremayne 
Nota: 3,5/5
Onde Comprar: Amazon

 

Marise Ferreira
Compartilhe no Google Plus

Sobre O que tem na nossa estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

6 comentários:

  1. Oi, Marise! Tudo bom?
    Se tem uma coisa que eu tô DISTANTE no momento é thriller desse tipo. Acho que tive minha cota no ano passado pra uma vida inteira UHASHUHSAUHSUAHUSAHUSA tá pra nascer uma premissa que me faça querer ler agora, infelizmente a ressaca tá fortíssima.

    Beijos,
    Denise Flaibam.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi, Marise!
    Amo thriller e esse me interessou de cara. Infelizmente, quando cheguei na parte em que você diz que a leitura é cansativa, já mudei de ideia haha Esse tipo de leitura precisa ser ágil ou perde um pouco da graça, né? Vou deixar anotado aqui, mas não vou dar prioridade pra ele.
    Beijinhos,

    Galáxia dos Desejos

    ResponderExcluir
  3. Oi, Marise!
    Ultimamente ando me decepcionando tanto com os thrillers que leio que nem me arrisco mais...
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  4. Amei sua resenha, confesso que quando a leitura se estende e fica cansativa me desanima um pouco. Mas que bom que o fim superou isso!

    https://www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  5. Li ele recentemente e apesar da leitura ler fluido muito bem, o final foi insatisfatório. Passei o livro todo ansiando por alguma coisa acontecer e no final acontece outra totalmente diferente. Mas no geral eu o livro não foi de todo ruim.

    bjo
    Imersão Literária

    ResponderExcluir
  6. Olá, Marise.
    Eu gostei bem mais de As Gêmeas do Gelo mas esse também me agradou. Achei que podia ter sido um pouco diferente o desenrolar da história, mas vale a pena a leitura.

    Prefácio

    ResponderExcluir