Chernobyl [Resenha da série]


Geralmente eu procuro assistir séries para me divertir, passar o tempo, ocupar minha cabeça com coisas sem muita importância, já que a vida leva toda a paciência que a gente tem no dia a dia, mas de vez em quando eu caio na besteira de assistir algo forte, algo mais intenso, algo que mostre a verdade dos fatos.

Chernobyl é um documentário em forma de série. Quem quiser ficar longe da loucura e ignorância do homem, da irresponsabilidade que mata milhares de pessoas, e da revolta pela falta de coragem de assumir seus erros, assista Chernobyl.

Chernobyl, minissérie da HBO relata os fatos acontecidos em 1986 quando o núcleo da usina nuclear explodiu. Uma das piores tragédias causadas pelo homem, com consequências que alcançaram países vizinhos da antiga União Soviética, em tempos de guerra fria. Sem dar muita importância com o sofrimento do povo e com as consequências do acidente nuclear, os responsáveis pela Usina produzem dores inimagináveis nos habitantes da cidade, ignoram a possibilidade de avisar a população das consequências da radiação, demoram a tomar providências, demonstram o tamanho da arrogância do país socialista através dos seus camaradas.


Alguns episódios são muito chocantes, algumas imagens são revoltantes e algumas providências tomadas são angustiantes, mas o conhecimento nunca é demais e assistir a série me ensinou sobre a história da humanidade através uma produção muito bem feita, uma fotografia incrível, diálogos intensos e interpretação à altura que uma tragédia de proporções gigantesca merece.

Jared Harris é Valery Legasov, é ele quem auxilia na “limpeza” da área e no conhecimento da verdade sobre o acidente. Stellan Skarsgård como Boris Shcherbina do Conselho de Ministros que acompanha todos os trabalhos. Emily Watson é Ulana Khomyuk, uma física nuclear, única personagem fictícia que representa os muitos cientistas que trabalharam para ajudar a resolver o problema enfrentando grande perigo sem se preocupar com isso. Paul Ritter é Anatoly Dyatlov, engenheiro da Usina de Chernobyl. 

Muitos outros atores deram vida ao povo das cidades próximas como os moradores que viram a explosão e foram para a ponte da cidade para ver mais de perto e morreram posteriormente, todos eles pelo efeito radiativo da explosão.


São cinco episódios que demonstram todo o horror do acidente nuclear e que trazem a verdade sobre Chernobyl. E a verdade é sempre melhor que não saber de nada. Vale a pena conferir.

Marise Ferreira
Compartilhe no Google Plus

Sobre O que tem na nossa estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

4 comentários:

  1. Olá, Marise.
    Eu também sou a favor da séries para se divertir, por isso sempre estou assistidno alguma de comédia hehe. Mas de vez em quando eu me aventuro. E essa está na minha lista porque só estou vendo elogios a ela.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  2. Oi Marise,
    Eu ainda não assisti essa série, mas gostaria, vi vários elogios e sei que vou me emocionar bastante!
    E confesso que só não assisti, porque cancelei a HBO após ficar com raiva do final de GOT, rs.
    beeeeijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Goste muito da resenha. Ainda não assisti a série, mas está dentre as próximas para ver. Acho bem interessante o tema e acho que vou gostar.

    bjo
    https://www.imersaoliteraria.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Com certeza uma série que merece ser vista.
    Bom restante de semana!

    O blog JOVEM JORNALISTA retornou do HIATUS DE INVERNO com dois posts interessantes.

    Até mais, Emerson Garcia

    Jovem Jornalista
    Fanpage
    Instagram

    ResponderExcluir