Especial [Resenha Literária]


Especial foi uma grata surpresa. Quando recebi o livro fui correndo conferir a série pra ter uma visão do todo que foi construído e mal podia esperar que a leitura dessa obra me traria tantos sentimentos bons.
É o que acontece quando se faz parte que uma geração cujos pais não querem que você jamais conheça o sofrimento; você acaba com um bando de pessoas de vinte e tantos anos que nunca se incomodaram em descobrir como se vive.
Ryan O’Connell foi capaz de apresentar a vida de vinte e poucos anos nesta montanha russa complicada, e eu não pude deixar de concordar com a maior parte do livro. Nesta idade vivenciamos amizades tóxicas, amores não correspondidos a relacionamentos horríveis, e ler algo assim serve também como uma afirmação de que, apesar de tudo, podemos nos recuperar e é apenas uma questão tempo e querer fazer a diferença em nossas vidas caóticas.


Sim, aquela colega no colegial que constantemente publica fotos felizes das férias passadas com queridos amigos em alguma ilha é provavelmente tão perdida e tão insegura de sua vida quanto você, aquela amiga da faculdade que postou uma foto de seu brilhante corpo esculpido, provavelmente está vivendo de biscoitos para ajudá-la durante a semana. 

A transição é assustadora e, na maioria das vezes, gostamos de ficar na praia a nadar contra as ondas, mas uma vez que beijamos o oceano, estamos tão desesperados para permanecer à tona que nos esquecemos de respirar por um tempo, para apreciar como o sol beija nossa pele, nos esquecemos das coisas simples. Este livro maravilhoso me fez perceber que existem coisas muito mais importantes na vida do que tentar agradar a todos, que as pessoas vão perpetuamente falhar com você de maneiras que você não pode imaginar, e que no final de um dia cansativo tudo o que você realmente tem é você mesmo.


O’Connel, que ganhou notoriedade como escritor de um popular site e alegremente se apresenta como a milenaridade por excelência nesta coleção de ensaios pessoais. Ruminando sobre temas como sua constante necessidade de validação na internet, navegando no mar de aplicativos de namoro, seus pais de helicóptero e sua afeição ocasional por remédios, ele se compadece como seu melhor amigo meio bêbado no happy hour.

Apesar de sua propensão à digitação de todas as letras maiúsculas, ele possui um fluxo de produção impressionante que é viciante e fácil de ler. Vários capítulos são dedicados à luta de toda sua vida com paralisia cerebral, pontuada por um acidente de carro que lhe deu a tentadora chance de se apresentar a estranhos como uma vítima de acidente, e mostra como ele descreve a si mesmo meio brincando.

O peso deste tópico distingue esta história pessoal de seus compatriotas mais leves. Às vezes míope, a estreia de O’Connell é prova, no entanto, de que os hábitos aprendidos no Twitter e no Tinder não necessariamente impedem a maturidade e podem até levar a uma melhor compreensão de si mesmo.


As memórias de Ryan são ainda mais engraçadas, mais emocionantes e ainda mais emocionais do que a adaptação do Netflix. As piadas me fizeram rir mais e os momentos emocionais ressoaram mais fundo. Ryan é engraçado, doce e inteligente e suas histórias me fizeram rir e querer chorar ao mesmo tempo. Ele é a representação que precisamos agora e não posso recomendar este livro ou a série da Netflix o suficiente
Você pode experimentar diferentes personalidades como quem troca de roupa, mas garanto que o traje original vai ser sempre o que veste melhor.
A edição da Galera Record está lindíssima, quando coloquei o olho na capa já sabia que iria me apaixonar pelo seu conteúdo, que surpresa a minha perceber que ele me ensinou tanto!

FICHA TÉCNICA

Título: Especial
Autor: Ryan O’Connell
Nota: 4/5
Onde Comprar: Amazon

 

Natália Silva
Compartilhe no Google Plus

Sobre O que tem na nossa estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

6 comentários:

  1. Olá, Natália! Tudo bem?

    Ah! Já é a segunda resenha que leio deste livro, e sinto que vou adorá-lo tanto quanto você gostou! Gosto muito de livros assim, que abordam temas da nossa atualidade e que nos fazem refletir sobre tudo que estamos vivendo, principalmente nas redes sociais, né?! Adorei a sua resenha, você tem uma forma de escrever maravilhosa <3

    Beijos
    Cantinho da Escrita

    ResponderExcluir
  2. Oi Natália!
    Gostei muito da resenha!
    Nem sabia dessa série na netflix. Deu pra perceber que vc aproveitou bastante a leitura e foi impactada pelas mensagens.
    Dica anotada!
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Oi Nat!
    Eu vi muita gente falar super bem da serie mas o livro em si dividiu opinioes. Uma amiga minha que eu confio bastante no gosto nao curtiu muito o protagonista. Disse que ele soa irritante as vezes. Nao tenho muito interesse no momento. Quem sabe no futuro.

    Abraços
    Emerson
    http://territoriogeeknerd.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Oi, Natália
    Eu não peguei o livro para ler porque não curto tanto o tema, nem assisti a série pra ter uma ideia, mas parece ser uma história bem legal, que joga na cara aquilo que precisamos ver e ouvir.
    Beijo
    Capítulo Treze
    INSCREVA-SE NO CANAL
    Sorteio de Todas as pequenas luzes
    Sorteio de aniversário dos blogs O que tem na nossa estante e Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  5. Oi, Natália!
    Fiquei bem interessada pela série quando ela saiu, mas não cheguei a ter o mesmo sentimento pelo livro. Porém, até agora não li e nem assisti, então acho que qualquer um que eu escolher já estou saindo no lucro hahaha
    Beijinhos,

    Galáxia dos Desejos

    ResponderExcluir
  6. Olá, Natália.
    Minha opinião sobre esse livro foi diferente da sua. Eu achei ele bem chato e foi dificil terminar. Só consegui porque parei e fui assistir a série e só então consegui terminar o livro. Os parágrafos são enormes e tem poucos diálogos, o que me incomodou bastante.

    Prefácio

    ResponderExcluir