Bom dia, Verônica [Resenha Literária]


Bom dia, Verônica foi lançado em 2016 e havia todo um mistério por trás da autoria da obra. Ninguém sabia quem era a autora (o pseudônimo usado foi Andrea Killmore).

Li o livro um ano após seu lançamento, sendo esta uma leitura marcante que foi capaz de tirar o meu sono. E agora, em 2019, finalmente foi revelado quem estava por trás da criação desta obra! Andrea Killmore é, na verdade, duas pessoas. Raphael Montes e Ilana Casoy. Esta revelação deixou o livro ainda mais especial. 

Agora, vamos conversar sobre esse enredo tão perturbador.

Verônica é secretária do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa de São Paulo. Seu trabalho é um tanto que monótono, ela sempre sonhou em trabalhar em campo; investigando crimes e fazendo a diferença.

Carvana é o seu chefe, que está prestes a se aposentar. Se antes já tratava os casos que recebia com desgosto, agora era ainda pior. Carvana era o descaso em pessoa, e isso revoltava Verônica.


A história já tem sua reviravolta nas primeiras páginas. Marta Campos procura o departamento para fazer uma denúncia. Caíra num golpe. Havia sido roubada e lesada. 

Os golpes em seu emocional foram profundos, sua dignidade fora tirada de si junto aos seus bens materiais, mas Carvana não a acolheu da forma devida. E bem ali, no Departamento de Homicídios, ela se suicida, para dar fim ao seu sofrimento.

Verônica se compadece tanto com a mulher que acredita ser capaz de fazer justiça, e é assim que inicia uma investigação para pôr as mãos no homem que tanto machucou Marta. Isso, claro, sem o conhecimento de Carvana e da equipe policial.

Como já não bastasse nossa agonia por Verônica iniciar algo tão arriscado, outro caso cai em suas mãos. 


Janete é uma mulher que há muito tempo vive isolada por causa de seu marido. Não tem contato com sua família, não tem amigos. E acreditem; essa não é a pior parte.

Além de ser vítima de violência doméstica, Janete acredita que seu marido é um verdadeiro assassino.
(...) tudo em que ele encosta apodrece.
Tomada pelo medo e pela perspectiva de dar fim ao seu sofrimento, liga para o Departamento e pede socorro à Verônica.

Assim, Verônica assume por si só dois casos. O que ela não sabe, é que ambos são mais sombrios do que poderia imaginar.
 – Acho que meu marido vai me matar. – A voz dela era firme e estranhamente calma.
- E por que ele faria isso?
- Ele gosta de matar mulheres.
- Ele já matou outras?
- Já, muitas.
- Um assassino de mulheres?
A obra em si é completamente envolvente. Ficamos sem fôlego, tememos pela vida de Verônica, e quanto mais nos é revelado sobre os personagens, mais envolvidos ficamos. É realmente doloroso precisar largar o livro sem concluir a leitura.


Verônica é uma personagem que, mesmo sendo irresponsável, cativa pelo fato de querer fazer justiça. 

Ambos os casos que ela tenta solucionar revela a monstruosidade do ser humano. Mesmo sendo uma história de ficção, existe impregnado no enredo a denúncia do descaso, a personalidade inquestionável de homens considerados do bem, o machismo por parte dos departamentos de polícia; e o quanto profissionais dispostos a fazer diferença são postos de escanteio.

Foi uma releitura que me fez reviver os momentos de tensão e desespero que senti da primeira vez que li. Mesmo sabendo o que iria acontecer me peguei tensa e com medo por Verônica. 

“(...) Ela não caça. Só ataca quem tenta caçá-la.”

Tive pesadelos da primeira vez que li, o envolvimento foi tanto que temi pela personagem ao ponto de sonhar com ela. E além do mais, os temas abordados são pesados, dignos de tirar o sono: necrofilia, estupro, tortura...


Preciso ressaltar que mesmo sendo temas horripilantes, a narrativa os trata de uma forma voltada para denúncia, e não com o intuito de provocar repulsa no leitor. 

Muito próximo à realidade, o livro choca e se torna inesquecível. É com toda certeza uma grande obra do gênero! E o que é melhor, 100% nacional.

A editora revela que o livro mescla realidade e ficção. E querem mais? Após comprar os direitos de adaptação da obra, a Netflix está apostando tudo na produção da série. A gravação já foi iniciada, e o elenco principal conta com Tayná Müller, Eduardo Moscovis e Camila Morgado.

Ansiosa para assistir! E mais ansiosa ainda pelos outros livros, que devem chegar muito em breve.

FICHA TÉCNICA

Título: Bom dia, Verônica
Autores: Raphael Montes e Illana Casoy
Ano de Lançamento: 2016 (Segunda edição 2019)
Páginas: 251
Nota: 5 estrelas (favorito)
Onde Comprar: AmazonDarkSide® Books


 

Bianca Gonçalves
Compartilhe no Google Plus

Sobre O que tem na nossa estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

6 comentários:

  1. mais uma edição incrível da Darkside! achei incrível ter essas reviravoltas e ser mesmo um livro bem assustador

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  2. Oi Bianca, tudo bem?
    Adoro livros investigativos e sua resenha me deixou mais curiosa quanto a este título.
    Também quero muito conferir a série quando sair!
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  3. Oiii Bianca

    Preciso ler esse livro, acho que vou gostar da leitura, é nacional, retrata temas sérios com tom de denuncia e ambos os autores são sempre mega elogiados, especialmente o Raphael.

    Beijos, Ivy

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  4. Oi, Bianca
    Eu não gosto de suspense mas até eu me senti cativada por essa história. Eu quero ler KKKKK Tô bastante envolvida, já senti agonia pela Verônica e pelas vítimas. Tão bom quando os autores conseguem envolver algo que prende a gente e mesmo depois de lido ainda nos deixa marcas.
    Beijo!
    http://www.capitulotreze.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oi, Bia

    Eu quero ler por conta da adaptação, mas não compro livros da editora, então encontro-me em um dilema moral. Hahahah
    Como gosto muito do Raphael, acredito que será um obra que irei apreciar. Vamos ver.

    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  6. Oi Bia!
    Eu nao tenho condições de ler os livros desse homi. Sao perturbadores demais e eu medroso. Acho legal o hype com um autor nacional reconhecido mas terror infelizmente eu passo longe.

    Abraços
    Emerson
    http://territoriogeeknerd.blogspot.com/

    ResponderExcluir