Ascensão [Resenha Literária]


“Nós também mudamos as coisas que podemos mudar, não é?”

Durante o ano de 2019 tive oportunidade de ler e reler livros do meu escritor favorito. King chega com seu mais novo lançamento Ascensão e nos oferece insight e coragem. O novo livro do rei é um truque, uma parábola comovente de superação de preconceitos e ressentimentos curados. As chamadas vistas aqui são provenientes de dentro da nossa consciência. 

Nessa história sombria, Scott é amaldiçoado com uma perda infinita de peso, mas não massa. Do lado de fora, ele parece o mesmo de sempre - um homem grande com mais de cem quilos. Mas toda vez que ele se pesa, a balança diz que é mais leve. O que é mais estranho nisso tudo, não importa o que ele está vestindo ou mesmo segurando... seu peso continua caindo. 

Obviamente, essa história se passa no cenário familiar de King: Castle Rock, aquela pequena cidade do Maine amaldiçoada por fenômenos inexplicáveis, como caminhões assassinos, brincadeiras mortais e tantas outras coisas perturbadoras. Desta vez, porém, o problemas de perda de peso de Scott é o único mistério, uma lágrima particular no tecido de uma realidade. Infelizmente nosso protagonista não está interessado em encontrar uma explicação, ele não quer participar de nenhum tratamento hospitalar agressivo ou de estudos do governo. Ele perderá peso com dignidade. 

Lembrou-se de quando subiu e desceu correndo os degraus do coreto... Não um fôlego, nem mesmo um barato, exatamente, mas algo como um sentimento de Ascensão. Um sentimento de que tinha se superado e podia ir mais longe ainda.
King apresenta isso com tanta ternura que é difícil ter em mente o quão sobrenatural é. Assim seguimos o exemplo de Scott, voltando nossa atenção para um drama cotidiano de vida na vizinhança: duas mulheres (casadas) se mudaram recentemente para a rua e constantemente seus cachorros deixam pequenas surpresas no quintal do nosso protagonista. Cujo estaria de volta? 

Não... este não é um livro sobre uma fúria desencadeada. É uma história sobre respostas medidas, sobre respeito civil, sobre como devemos nos comportar em nossas pequenas cidades fofoqueiras. Um livro que fala sobre comportamentos exemplares, sobre tensões resolvidas por adultos capazes de evoluir além de suas crenças limitadas. 


A maior parte de Castle Rock - uma cidade solidamente republicana - está disposta a “tolerar” lésbicas, mas casadas? Se Ascensão assim como seu título anterior O Instituto, não é um ataque a Trump e a alguns governos por aí, é uma repreensão implícita à sua divisão bruta invectiva e tóxica. Com uma equipe de amigos, Scott graciosamente eleva a consciência da cidade e expande a circunferência de sua apreciação. É um lembrete do tipo de bom espírito que ainda preenche os povos, independentemente da demagogia que estamos enfrentando desde o topo. 

E, no entanto, esse livro pode repelir leitores que ainda tem o preconceito como algo grande em suas vidas - que, suspeito, não incomodarão muito nosso rei. Ter centenas de milhões de cópias impressas deve fornecer um escudo útil contra os ventos de preconceitos confirmados. Mas hoje em dia, poucos escritores de ficção seriam capazes de criar algo tão extraordinário como o universo que King criou. 


Zombe dos clichês ocultos, se necessário, mas King, agora com 72 anos, está do lado dos anjos. Ele escreveu um livro fino sobre um homem comum em uma condição extraordinária, superando o ódio e aprendendo a viver com tato e dignidade. Não é um livro de horror, mas posso te garantir... ele está em seu melhor momento.

FICHA TÉCNICA

Título: Ascensão
Autor: Stephen King
Nota: 5/5
Onde Comprar: Amazon

 
Natália Silva
Compartilhe no Google Plus

Sobre O que tem na nossa estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

10 comentários:

  1. Oi, Nat!
    Esse livro já foi lançado com outro nome, né? Vendo sua resenha, eu lembrei que já vi sobre essa história e achei bem interessante.
    Essa edição está o luxo de linda!
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  2. Oie
    Uau, conforme fui lendo sua resenha fui ficando curiosa pelo desfecho do livro. Achei a temática genial e já vou colar na minha lista de desejados. Gostei muito da sua resenha, pude ter uma boa visão do que se trata o livro e ainda me deixou com vontade de ler.

    Beijinhos
    https://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Oi Natalia,

    Eu ainda não li nada do King, mas tem algumas obras dele na minha lista de leitura.
    Fiquei curiosa com esse livro.

    Bjs e uma ótima noite!
    Diário dos Livros
    Conheça o Instagram

    ResponderExcluir
  4. Oi Natalia! Este livro está na minha lista e tenho certeza que vai ser mais um do King que vou gostar. Eu dei uma lida nas primeiras páginas e fiquei curiosa sobre a situação do homem perdendo peso daquela forma. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  5. King também é o meu autor favoritooo <3 <3 <3
    De inicio na sua resenha, eu lembrei de outra obra dele, A Maldição do Cigano por conta do personagem emagrecer do nada.
    Também acho que ele está em sua melhor fase, mais crítico e trabalhadno temas pesados de uma forma mais sensível e alfinetando mais do que nunca. Amo demais.

    Abraço,
    Larissa | Parágrafo Cult

    ResponderExcluir
  6. Oi Nat!
    Nao tem um livro desse homi que me chame atencao infelizmente. Acho que o q chegou mais perto foi It, mas ainda nao tenho coragem de arriscar na ruma de pagina que tem.

    Abraços
    Emerson
    http://territoriogeeknerd.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Olá,
    Adoro essa fase do King mais crítico perturbando o moço de pele laranja kkkkkk
    Apesar de não ter solicitado fiquei bem curiosa com a conclusão.

    até mais,
    Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
  8. Oi Natália,
    Eu nunca li nada no King, não sou muito do gênero sobrenatural e tal.
    Gostaria de ler algo para ter mais propriedade para opinar, mas sei que preciso de paciência, rs.
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. Oi, acho que viajei na leitura da resenha rsrs' imagina lendo o livro... Mas foi no bom sentido, porque me imaginei na história. Já adicionei no carrinho, assim que der, quero me aventurar em mais essa história do King. A resenha está maravilhosa <3

    ResponderExcluir
  10. Olá, Natália.
    Desisti de ler King depois que li It. Até leria se o enredo chamasse muito a minha atenção, mas não foi o caso aqui.

    Feliz Ano Novo!
    Prefácio

    ResponderExcluir