Através do Vazio [Resenha Literária]


May é a comandante do voo espacial mais monumental da história da humanidade: a primeira expedição tripulada à lua de Júpiter, Europa. Exceto que algo deu terrivelmente errado. Em uma nave em pedaços ela acorda sozinha em uma câmara, sua tripulação está desaparecida e sua nave sofreu danos catastróficos. Assim, entramos em um intenso jogo de sobrevivência, não apenas contra o vasto vazio do espaço, mas também contra inimigos um pouco mais próximos de casa.

Parece incrível, não é? E, em várias situações durante a leitura realmente foi, principalmente porque nossa protagonista é uma forte mulher.

A primeira metade do livro me lembrou outros livros contados através do viés espacial, então eu realmente estava animada para conferir. Além disso, toda a ideia de uma viagem humana para o espaço é completamente fascinante e gera muitas maravilhas em pessoas como eu, que estão encantadas com os avanços nas viagens espaciais. A beleza perigosa do nosso universo era realmente atmosférica, adicionando um cenário incrível a essa história de sobrevivência em ritmo acelerado.


Felizmente, ela não estava completamente sozinha, pois o sistema de navegação da nave sobreviveu ao desastre desconhecido e se tornou uma aliada valiosa. O relacionamento de May com ela foi o que mais me agradou na história, sua capacidade de resolver problemas e perseverar diante de adversidades avassaladoras me fizeram torcer pela protagonista. Então, no final do livro as coisas se complicaram.

Havia tanta coisa acontecendo e tantos flashbacks em sua história que eu me atolei em tudo isso. De repente, tornou-se um Código da Vinci sendo lido pela milésima vez e completamente apressado, sabe quando você tenta colocar o maior número de coisas nas páginas restantes, pois bem.


Suas motivações e ações começaram a não fazer absolutamente nenhum sentido e todos os eventos que aconteciam nos bastidores da Terra ficaram impressionantes, especialmente quando as pessoas do seu passado começaram a fazer coisas realmente absurdas. A ciência começou a ser forçada e completamente inventada também.

Se você for capaz de abraçar todo o drama que está ocorrendo, pode se envolver com a história, até mesmo porque o livro está sendo vendido como um potencial filme espacial no futuro. Para os fãs mais fervorosos da ficção científica, suspeito que o elemento pessoal realmente diminua o que são boas emoções de ficção científica. Através do Vazio é uma pequena mistura de um livro que pode ter sido escrito para um público mais popular em mente e atende verdadeiramente a eles, mas os que são muito fãs de grandes ficções de renomes, encontrarão por aqui algumas peças faltantes. No mais a edição da Editora Suma está lindíssima, com uma diagramação perfeita como sempre.

FICHA TÉCNICA

Título: Através do Vazio
Autor: S. K. Vaughn
Editora Suma
Nota: 3/5
Onde Comprar: Amazon

 

Michele Lima
Compartilhe no Google Plus

Sobre O que tem na nossa estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

6 comentários:

  1. Olá, Michele.
    Eu até gosto desse tipo de enredo se for em filmes. Livros eu não curto muito. E ainda depois dos seus comentários vou deixar passar a dica.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  2. Oi Galera!
    Primeiramente eu amei as fotos, ficaram lindas! E adorei a sua resenha desse livro, fiquei curiosa em relação a história apesar de ser um gênero que eu não leio muito.
    Coloquei aqui na minha lista.
    Beijos
    Ari

    ResponderExcluir
  3. Oi Mi,

    Eu gosto muito desse tipo de tema, mas confesso que pela sua resenha não fiquei tão interessada nesse.
    Fica para uma próxima rs.

    Bjs e uma ótima noite!
    Diário dos Livros
    Conheça o Instagram

    ResponderExcluir
  4. Olá..
    Adorei a sua resenha!
    Ainda não conhecia a obra em questão, mas pelos seus comentários pude perceber que com certeza é um livro que não me agradaria. A premissa é bem legal, mas, não faz muito o meu estilo :(
    Bjo

    http://coisasdediane.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Oi, Mi

    Se tem uma coisa que eu detesto é ciências inventada. Sempre pontuo que criatividade, quando o assunto é ciência, deve ser limitado. Se perde. verossimilhança eu logo torço o nariz.
    Como eu não gosto do gênero dificilmente eu leria...

    Feliz Natal!
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  6. Oi Mi!
    Apesar de gostar de ficção cientifica eu sempre me pego entediado com filmes que tem a vibe desse livro e acabo deixando de lado sem terminar. Acho que floparia com esse excesso de drama. Mas de fato q a edicao ta linda.

    Abraços
    Emerson
    http://territoriogeeknerd.blogspot.com/

    ResponderExcluir