As Brigadas Fantasma [Resenha Literária]


Segundo livro da Série Guerra do Velho, As Brigadas Fantasma foi uma leitura cheia de altos e baixos.

Ficção científica que se passa no espaço, o segundo volume não traz uma continuação dos eventos do primeiro livro. Assim sendo, não temos John Perry por aqui. E para que você leia essa resenha tranquilamente, evidencio que não teremos spoiler.

O autor mostrou um universo completamente novo e inédito em seu primeiro livro. Para quem ainda não leu, a série explora o espaço. Soldados são recrutados com a missão de proteger a Terra, porém, de forma inédita, tais soldados são alistados já na terceira idade.

Como já contado na resenha do primeiro livro, quando recrutados, os soldados passam por uma mudança radical: seu corpo velho é posto de lado e um novo corpo, mais forte, mais ágil, mais novo; com as mesmas características físicas de quando o soldado era mais jovem. 


Ainda no primeiro livro, conhecemos as Forças Especiais. E nessa continuação, iremos entender mais a complexidade desses soldados, que já nascem com o intuito de proteger a raça humana.
(...) nascem adultos, com habilidades e competências, mas sem lembranças. E não apenas sem lembranças. Sem personalidade. Sem moralidade. Sem restrições. Sem... Sem humanidade.
Jane Sagan é a grande protagonista dessa história. Uma mulher sagaz, que precisa descobrir a fundo sobre uma ameaça contra os seres humanos. Acontece que uma trama está se desenrolando no espaço, outras raças estão se aliando contra a humanidade. E dentre os humanos, um traidor.

Como poderia um humano articular contra sua própria raça? 

As Forças Especiais agrupam soldados considerados sem alma. Suas características físicas são humanas, porém a força, agilidade e inteligência desse grupo são acima até mesmo de soldados como John Perry. 

A leitura se inicia cheia de ação e com um leve suspense. O desenvolver do ponto inicial me prendeu por completo, fazendo com que as páginas avançassem com rapidez. Todo o universo criado pelo autor instiga. A construção dos soldados das Forças Especiais me empolgou. De todas as raças existentes no livro, de todas as “alterações” na própria raça humana já abordada no livro anterior; a das Forças Especiais foi a que mais me deixou curiosa e atenta para cada informação a respeito dessa classe. 
O que nos torna diferentes é que, entre os humanos, somos os únicos que nascem com um objetivo. E esse objetivo é simples: manter os seres humanos vivos nesse universo.

Jane Sagan é uma personagem maravilhosa, que me encantou desde a primeira aparição. Porém, como acontece com a maioria das ficções escritas por homens, faltou uma maior exploração. 

Mesmo entendendo que alguns eventos precisam ocorrer sem a presença da protagonista, eu considerei que suas aparições foram curtas levando em consideração que estamos falando de uma protagonista. Scalzi pecou, em meu ponto de vista, deixando de oferecer ao leitor um leque maior de informações sobre Jane. Aliás, em muitos momentos, acreditei que a personagem nem voltaria a aparecer.

Muitos fãs do autor consideram esta uma característica de suas obras: a não exploração dos personagens como um todo. Eu vejo como um ponto negativo. Em se tratando da continuação, a quantidade de personagens existentes é imensa, porém a falta de explorar, a falta de tempo para que o leitor “guarde” alguma característica ou mesmo tenha algum apego e/ou sentimento pelo personagem disposto faz com que sejam esquecíveis. Precisei voltar páginas para me lembrar de qual papel que alguns personagens desenvolviam. 


Outro baixo da continuação de Scalzi: a falta de ação. Não obtive momentos de aventura como no primeiro livro, a ação disposta é praticamente inexistente. Sem contar que o suspense inicial não se desenvolve, deixando a trama previsível e maçante.

Assim sendo, a leitura foi uma mistura de pontos muito altos e pontos muito baixos. Posso resumir que a primeira metade do livro foi genial e a segunda metade monótona... 

Vejam bem, eu continuo considerando John Scalzi incrível! Apesar de todos os pontos negativos que citei, preciso ressaltar que toda a maravilha do universo criado pelo autor me faz querer continuar a investir na série. Principalmente pelo fato de que quero muito me reencontrar com John Perry (e espero que seja no terceiro livro!).

FICHA TÉCNICA

Título: As Brigadas Fantasma - Guerra do Velho #2
Autor: John Scalzi
Páginas: 375
Nota: 3/5
Onde Comprar: Amazon

 

Bianca Gonçalves
Compartilhe no Google Plus

Sobre O que tem na nossa estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

4 comentários:

  1. Oi, Bia!
    Pena que esse livro não teve muita ação.. ainda mais com uma história previsível e maçante. É realmente de decepcionar qualquer um
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe do sorteio Rumo aos 4K no instagram

    ResponderExcluir
  2. Olá, Bianca.
    Eu tenho um sobrinho que é muito fã do gênero e ele gosta bastante dessa série. Mas eu particularmente não tenho interesse porque o gênero é um que não leio muito e quando leio é aquelas que misturam ficção cientifica com fantasias ou distopias.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  3. Oi Bianca! Eu não leio muitos livros do gênero e não conferi esta série ainda. Que pena esta leitura não ter sido tão empolgante. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  4. Oii, esse livro foge muito do gênero literário que costumo ler, mas amei conhecer ele.O autor parece que usou toda a sua criatividade para transformar todas essa história e ainda assim ter relação com os humanos e tudo mais. E poxa, que ruim os pontos negativos dele. Um protagonista tem que aparecer, bem chato isso. Eu mesma sou muito fácil de esquecer os detalhes dos personagens e ainda mais quando se tem muitos personagens. Mas se a escrita dele for boa e a história em si também é certeza que leria até o último.
    Jardim de Palavras

    ResponderExcluir