As Quatro Rainhas Mortas [Resenha Literária]


Se eu tivesse que escolher uma palavra para definir a leitura de As Quatro Rainhas Mortas eu diria surpreendente! Apesar de ter lido resenhas negativas sobre ele, acabei me deparando com uma história envolvente e personagens cativantes que guiam por um mistério deliciosamente angustiante.

Após os inúmeros conflitos, Quadara finalmente vive seu momento de paz. Desde a ascensão das 4 rainhas, os diferentes reinos prosperam e enriquecem juntos, vivendo sob a lei onde uma rainha não pode opinar no quadrante da outra, mas isso está prestes a mudar. Inesperadamente a ladra Kerali se vê em meio a um verdadeiro jogo de gato e rato quando rouba uma mensagem e descobre que a informação que ele carregava era, na verdade, o planejamento de um assassinato. E não qualquer um, mas sim o das rainhas. Agora, Kerali e o jovem insensível Varin, o mensageiro, precisarão a todo custo enfrentar diversas provações para encontrar o assassino e tentar salvar o pouco de paz que resta em seu lar.


O livro é dividido em quatro partes, sendo cada uma narrada por diferentes personagens. Obviamente, os capítulos principais são contados por Kerali, nossa protagonista e esse já um ponto super positivo a se ressaltar. A escrita de Astrid Scholte é excelente! Me preocupava que a autora não tivesse escrito o livro tão bem, levando em consideração que é seu primeiro romance, mas pelo contrário, sua narrativa é cativante e em alguns momentos brilhantes. A forma como ela guia o leitor a pensar uma coisa, para páginas à frente ser outra totalmente inesperada fizeram dessa leitura algo que eu não conseguia parar. Embora ela utiliza elementos já visto em outras incontáveis fantasias, seus toques de mistério, suspense e crueza na hora de descrever as cenas, elencam todo um toque pessoal para a sua trama. E esse elemento é tão vivo dentro da narrativa, que até mesmo o tempo da narração acaba sendo surpreendente e se transformando em um plot-twits.

Friso também o desenvolvimento dos personagens. Kerali é a típica nova mocinha de YA que fez escolhas erradas e agora quer rebelar seu lado mais sombrio por pensar que está se punindo. Gostei dela assim que a conheci. Seu jeito engraçado, irônico e muitas vezes calculista, tornavam seus capítulos cheios de adrenalina, incerteza. Boa parte da história me vi envolvido e torcendo para que no fim ela conseguisse atingir seus objetivos. Além disso, apesar de sua relação romântica com Varin, esse ponto nem ao menos é bem falado. O romance é muito segundo plano e acontece tão naturalmente que quando você menos espera já está apegado por ambos. A forma como as diferentes personalidades se encaixavam, me fez torcer pelo casal.


O crescimento no núcleo das rainhas também é interessante. Cada uma tem seu espaço de tempo para que o leitor venha a se aproximar mais delas, e isso foi uma jogada inteligente da autora. Na primeira parte do livro, esses capítulos narrados por elas (as personagens são: Iris, Stessa, Margerite e Corra) são o mais instigante. Além de serem o foco total de toda a conspiração da coroa, ainda revelam diversas informações chocantes sobre cada uma das personagens.

A obra também levanta uma bandeira bonita de sororidade. Apesar das discordâncias entre as rainhas, percebe-se com facilidade o clima de união que elas parecem ter entre si. E isso também foi surpreendente. 

Os únicos pontos que me desagradaram foram as decisões contraditórias que alguns personagens tomavam e o final apressado. Por se tratar de um livro único, essa obra tem definitivamente um começo, um meio e um fim, e o desfecho é até aceitável, mas corrido. A autora fica tanto tempo envolvida de esconder quem é o mistério que acaba alongando muito o clímax, o que levou a uma despedida um tanto abrupta e sem muito desenvolvimento.


Porém, ressalto, é uma leitura interessante e se você é fã de fantasia e quiser tentar, eu aconselho arriscar. Não é nenhum livro inovador e menos ainda totalmente original. Em diversas passagens sua trama me lembrava Um Tom Mais Escuro de Magia ou Divergente e isso não deve ser tomado como algo negativo, pelo contrário. Como mencionei é uma história rica, com um universo muito interessante e cheio de diversidade em seus personagens. As Quatro Rainhas Mortas é uma leitura envolvente e divertida que vale a pena de arriscar.

FICHA TÉCNICA

Título: As quatro rainhas mortas
Autora: Astrid Scholte
Nota: 4/5
Onde Comprar: Amazon

 

Emerson Andrade
Compartilhe no Google Plus

Sobre O que tem na nossa estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

4 comentários:

  1. Oiii Emerson!
    Então estou querendo ler As quatro rainhas mortas, espero que assim que eu tiver com tempo. Eu posso ler pois eu amo enredos assim.
    Beijos
    Ari

    ResponderExcluir
  2. Olá, Emerson.
    Eu já definiria ele como decepcionante. Achei o enredo tão rico e a autora desenvolveu tão pouco do potencial que tinha a história. Sem falar no final que deixou muito a desejar.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  3. Oi, Emerson
    Estou surpresa com sua resenha! Acho que todas as que li até agora só detonaram o livro, mas você gostou KKKK Então já posso também dar uma nova chance a obra.
    Beijo!
    https://www.capitulotreze.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi, Emerson

    Ai amigo, nessa não posso concordar com você não. Essa leitura foi terrível pra mim e queria muito recuperar as horas que gastei lendo ele. Hahahahah
    E aquele romance água de chuchu é natural onde? Hahahahhahahahah
    Mas respeito sua opinião, claro. Só que pra mim foi uma das bombas de 2019.

    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir