Biblioteca Lovecraft - Vol. 1: O chamado de Cthulhu [Resenha Literária]


H.P Lovecraft nunca teve em vida sua obra devidamente reconhecida, o que é uma pena. O autor é um marco do terror, influenciando Neil Gaiman, Stephen King, George R.R. Martin, filmes, séries, músicas e até desenhos animados! Lovefraft está presente na cultura popular mais do que a gente imagina! O autor por vezes pode ser filosófico, formal, inventando palavras, mas com seu estilo gótico consegue passar todo o desconforto, angústia e medo de seus personagens.

Biblioteca Lovecraft - Vol. 1: O chamado de Cthulhu e outras histórias temos uma edição lindíssima de capa dura com alguns contos do autor e claro, o mais conhecido do horror cósmico de Lovecraft: O chamado de Cthulhu. 

O conto mostra uma investigação quase jornalística. Francis Wyland Thurston recebe uma herança de seu tio-avó, George Gamell Angell, um famoso professor e estudioso de idiomas e semiótica que faz uma pesquisa sobre uma misteriosa placa em baixo relevo que possui o desenho de uma estranha criatura.Também conhecemos Harry Anthony Wilcox, um homem atormentado por sonhos que faz com que Angell começasse sua investigação. E ainda aparecem outros personagens que compõem a narrativa como Gustav Johanssen, um navegador norueguês, o antropólogo Wilhiam Channning Webb e o policial John Raymond Lagrasse que investigou um caso de culto macabro na região. 


Cthulhu é uma criatura estranha, desconhecida, cósmica e muito assustadora, um ser extraterrestre mitológico e muito antigo, que recebe cultos de nós humanos ao longo de vários séculos. E a história não começa de modo instigante, ou fácil, mas à medida que conhecemos os cultos, os sonhos, o medo vai crescendo e vamos nos envolvendo com a narrativa. É muito difícil descrever Cthulhu, mas a atmosfera criada por Lovecraft é sombria e parece muito real! Será que não existe mesmo uma criatura assim em algum lugar do mundo?

A edição tem outros contos como Dagon em que o protagonista sofre um naufrágio e vai parar numa ilha bem misteriosa, tudo numa narrativa bem pessimista e angustiante, principalmente o final! Ar frio é um dos meus preferidos, curtinho e fácil de nos envolver, o conto mostra um homem que sente medo de ar frio e nos explica o motivo. Ele conheceu um doutor que morava no mesmo lugar que ele e devido a sua ajuda surge uma amizade entre eles. No entanto, Dr. Muñoz era estranho, seu quarto era extremamente gelado e as pessoas tinham medo dele. E se no começo eu me recusei a achar que tinha algo errado com o médico, no final eu tive certeza que estava errada. Ar Frio não é assustador, mas mexe com a nossa curiosidade. 

Outro conto que gosto bastante é o Modelo de Pickman, onde o narrador conhece um pintor bem realista e descobre de onde veio tanta inspiração, é um conto mórbido, macabro e a tensão é gradual, o que me agrada bastante. Já em A música de Erich Zann temos a curiosa história do protagonista que nunca mais encontrou a casa, a rua ou mesmo a localidade de onde escutou a música de Erich Zann. Quando era estudante de metafísica morou na Rue d’ Auseil e escutava a estranha canção todas as noites com muito fascínio. Até que um dia conheceu Zann e parecia que o velho músico tocava para afastar algo bem estranho. 


Um dos contos mais longos da edição é A sombra vinda do tempo. Temos um narrador nada confiável, já que ele mesmo afirma que parte do que viu pode ser sido uma alucinação, embora as memórias sejam muito vívidas, cheia de realismo, o que nos faz duvidar e achar que tudo que ele viu foi realmente verídico. Peaslee começa a história nos preparando para sua experiência arrebatadora. Ele sofreu uma estranha amnésia por 5 anos. Um dia quando estava dando aula de Economia, ela começou a ver formas estranhas, como se estivesse em outro lugar. Ficou inconsciente e quando acordou falava de maneira diferente, como um estrangeiro. Precisou reeducar os movimentos das mãos e pernas, possuía interesse em histórias, ciência, artes e tinha conhecimento inexplicável em outras áreas. Enfim, era outra pessoa.

Até que um dia Peaslee fica inconsciente de novo na sua casa após instalar uma estranha máquina (que some depois) e volta ao normal, não se lembrando do que fez nos últimos 5 anos, apenas com estranhas sensações. A narrativa do conto é bastante prolixa, cheia de detalhes e se arrasta em alguns momentos, mas a ambientação onírica no final é excelente.


Outro conto que também chamou minha atenção foi A casa temida. O mais interessante que a tal mansão em Providence existe de fato! O narrador e seu tio, Dr. Elihu Whipple, são fascinados pelo lugar e por tudo que acontece por lá. Todo os moradores têm sérios problemas, morrendo, ficando doente e aos poucos o protagonista vai desvendando o mistério. A casa é mórbida e o conto cheio de detalhes instigou minha curiosidade até o final. 

A edição da Suma ainda conta com O assombro das trevas, O horror de Dunwich e A sombra de Innsmouth, sendo ao todo 10 contos e no final um pequeno texto sobre Lovecraft. Para o amantes do autor é uma boa oportunidade para ter mais histórias cheias de suspense na estante e para quem não conhece, uma ótima chance para conhecer. 

FICHA TÉCNICA

Título: Biblioteca Lovecraft - Vol. 1: O chamado de Cthulhu
Autor: H.P Lovecraft
Nota: 5/5
Onde Comprar: Amazon

 

Michele Lima
Compartilhe no Google Plus

Sobre O que tem na nossa estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

2 comentários:

  1. Oi, Mi!
    Tenho muita vontade de conhecer os contos do Lovecraft. Esse ano de 2020 vou ver se dou uma diversificada nas leituras.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  2. Oi, Mi
    Eu só fui descobrir esse autor pelas resenhas que vejo aqui ou acolá, mas não leio terror então dificilmente me interesso por esse tipo de leitura, mas essa edição tá tão linda que dá até vontade de ler.
    Beijo!
    https://www.capitulotreze.com.br/

    ResponderExcluir