Stalker [Resenha Literária]


Stalker de Lars Kepler é difícil de classificar. O romance é uma narrativa de crime, mas contém elementos de mistério, procedimentos policiais, aventura, suspense psicológico e até um pouco de clássico noir. Além disso, seu comprimento (560 páginas) o torna consideravelmente mais longo do que a maioria dos romances contemporâneos do gênero e permite que o autor desenvolva algumas narrativas entrelaçadas simultaneamente, além de oferecer aos leitores uma visão do que aconteceu antes dos eventos do romance.

Em Stalker, alguém envia ao Departamento Nacional de Investigação Criminal um pequeno vídeo com uma jovem em sua casa. Obviamente, o vídeo foi filmado do lado de fora da casa, e a mulher parece não perceber o fato de estar sendo observada. A filmagem é perturbadora, mas não é exatamente o que a unidade está acostumada. Isso muda logo após o vídeo: alguém encontra o corpo da mulher. Ela foi encontrada onde a filmagem a mostrava e foi horrivelmente mutilada e violentamente atacada antes e depois de sua morte. Assim, o vídeo se torna evidência e os detetives estudam todos os quadros. 


Em seguida, chega um segundo vídeo, este mostrando algo semelhante ao primeiro. A semelhança imediatamente faz as autoridades pensarem que estão lidando com um serial killer que está brincando com eles, avisando quem é a próxima vítima, mas não dando nenhuma informação que possa ajudar a salvá-la. A detetive Margot Silverman, que está grávida, recebe o caso, e uma das primeiras coisas que ela faz é pedir ajuda e Erik Maria Bark, um renomado hipnotizador que ajudou Linna em casos anteriores, entra em ação. Eles então tentam chegar à pessoa por trás dos vídeos, sabendo que a cada novo vídeo uma vida será perdida e eles não podem fazer nada para evitá-la. Enquanto a tensão aumenta e os detetives vasculham o passado, um dos segredos de Bark volta para assombrá-lo. 

Este é um daqueles livros raros que tornam quase impossível escrever uma resenha. Existem muitas histórias emaranhadas aqui e tentar oferecer uma breve descrição de cada uma delas levaria umas dez dez páginas. De qualquer forma, o que importa é que Lars Kepler consiga manter a narrativa sempre avançando e dê vislumbres de todos os eventos passados relevantes. Esta é a quinta entrada da série Jonna Linna e, apesar de não ser necessário ler os livros anteriores, os leitores familiarizados com os personagens e tudo o que aconteceu até esse momento aproveitarão mais o romance.


Lars Kepler, é o pseudônimo da equipe de marido e mulher Alexandra e Alexander Ahndoril, e eles sabem que o ritmo é crucial em um romance desse tamanho. A ação vai e vem em Stalker, a narrativa flutua entre discussões e conversas entre os personagens, vemos as explicações de eventos passados, e temos análise do caso e breves explosões de ação acentuadas por violência brutal. 

Esses elementos, juntamente com capítulos relativamente curtos e muito diálogo, se unem para oferecer uma experiência de leitura satisfatória. Embora haja muito o que apreciar aqui, este não é um romance para todos. A ficção criminal contemporânea pode ser dividida principalmente em dois campos: romances curtos e fortes, e novelas com narrativas longas, expansivas e sem pressa. Este pertence ao segundo grupo. Há passagens e até um capítulo inteiro em que se perde o senso de urgência ou em que o autor passa muito tempo lembrando ao leitor as coisas que aconteceram anteriormente. Por fim, há uma infinidade de casos em que as descrições cortam a história de maneira que não acrescentam nada à narrativa. Isso é culpa tanto dos autores quanto do editor do livro. Por fim, esse romance teria sido tão eficaz quanto 100 páginas a menos.


Apesar das deficiências mencionadas, há muitas razões pelas quais os romances de Joona Linna serem sucesso internacional. Lars Kepler tem talento para mostrar os cantos mais sombrios da mente humana através do crime. Além disso, há uma sensação cinematográfica na prosa que mantém os leitores virando as páginas, independentemente do ritmo, e isso é algo difícil de alcançar.

FICHA TÉCNICA

Título: Stalker
Autor: Lars Kepler
Nota: 4/5
Onde Comprar: Amazon

 

Natália Silva
Compartilhe no Google Plus

Sobre O que tem na nossa estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

5 comentários:

  1. Chocada que é pseudônimo de um casal, mas sempre ouvi elogios às suas obras. Esse ano quero dar uma diversificada nas leituras e esse talvez entre na listinha.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  2. Olá, Natália.
    Eu já li dois livros do autor e confesso não gostei tanto assim. Achei o detetive um mala. Por isso eu até leria se ganhasse o livro por exemplo, porque comprar acredito que não irei.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  3. Que legal esse casal trabalhando junto para compor uma obra desse estilo. Eu adoraria ler algo nesse estilo e sua resenha só me deixou com mais vontade.
    Beijos
    http://blog-apaixonadaporpalavras.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Oi Natalia! Li um livro da dupla e achei a história bem pesada. Eu curti, mas prefiro os livros deste gênero mais curtos e fortes. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  5. Oi Naty!
    Então esses livros estão na minha lista para ler esse ano, no quesito romance policial. Apesar do receio de histórias tão pesadas. Eu quero ler, sair um pouco na minha zona de conforto. Agora lendo sua resenha, tenho a certeza que lerei ele.
    Bjs
    Ari

    ResponderExcluir