Aves de Rapina: Arlequina e sua Emancipação Fabulosa [Resenha do Filme]


Esquadrão Suicida foi tão massacrado pela crítica que poucos personagens conseguiriam sair quase intactos como a Arlequina de Magot Robbie e agora, a vilã super carismática conseguiu mais um filme.

De fato, o longa é sobre a emancipação de Arlequina. Depois de terminar com o Coringa, a personagem perde os privilégios que tinha em Gotham e com isso, todo mundo que tem um problema com ela (e são vários) querem se vingar. Arlequina precisa se livrar da dor do término do namoro, de ter sido mais uma vez abandonada e aprender a se virar sozinha! Quando Roman Sionis (Ewan McGregor) descobre que Arlequina está solteira, resolve finalmente matá-la, já que o Máscara Negra só a aguentava por ser namorada do Coringa. No entanto, a vilã consegue ganhar tempo ajudando Roman a encontrar um precioso diamante, que está com Cass (Ella Jay Basco), uma criança ladra.


Cass tem uma família desestruturada, é bem conhecida pela polícia pelos seus furtos e nem imagina que um roubo rotineiro colocaria a sua vida em risco. A relação da Arlequina com Cass é excelente, conseguimos ver um pouco mais do “coração mole” da vilã.

Paralelo a isso temos Canário (Jurnee Smollett-Bell) deixando de ser cantora para ser motorista de Roman, graças a Arlequina e suas confusões, a Caçadora (Mary Elizabeth Winstead) tentando vingar os assassinos dos seus pais e a policial Renee (Rosie Perez) que sabe que Roman está liderando um exército e está atrás do diamante. Todas as tramas estão cruzadas e para contar exatamente o que acontece a direção usa do artifício do flashback, muitas vezes em momentos inadequados que quebram o ritmo da cena.


Arlequina é a personagem mais desenvolvida por ser a protagonista, temos uma ótima animação no início que conta um pouco da sua trajetória e sua insanidade. A vilã é adoravelmente descontrolada, sarcástica, sem filtro e sem noção! E assim, é responsável pelas cenas de alívio cômico e as mais bizarras, como atacar policiais com balas e purpurina. Margot Robbie deu carisma a personagem e em alguns momentos, inevitavelmente, eu me lembrei de Eu, Tonya nas cenas da Arlequina de patins.

Já as outras personagens possuem plots interessantes, mas não tão bem desenvolvidos. Dá pra perceber que cada uma poderia ter facilmente um filme solo. A policial Renee deveria ter sido promovida, mas foi seu antigo parceiro que levou os créditos. A Caçadora é uma mulher forte, destemida e vingativa e Canário guarda boas surpresas, sendo muito mais do que uma simples cantora.


O filme é girl power por completo e o feminismo, embora apareça do início ao fim, é dosado e não sobrecarrega o roteiro, inclusive é bastante sutil em algumas cenas. No entanto, a crítica contra o machismo é evidente, Arlequina sempre foi condicionada a um relacionamento abusivo e luta para sair do ciclo do abuso porque Mascara Negra também quer dominá-la. E falando no vilão, Roman não tem a mesma loucura e esperteza do Coringa, mas é um bom vilão psicopata e sádico.

O longa tem uma estética única e possui seu próprio estilo, mesmo se passando no universo de Esquadrão Suicida, o que é bem positivo. Existe um ar despretensioso, mas não se enganem, é bastante violento e tem boas cenas de lutas e ação. Infelizmente, a quebra de ritmo muitas vezes atrapalha, mas o roteiro, mesmo não aproveitando as personagens como poderia, é consistente. Trilha sonora, maquiagem e o figurino da Arlequina merecem bastante destaque!


Enfim, Aves de Rapina é um bom filme, poderia ter explorado melhor as tramas, mas é bastante divertido, bem dirigido, ousado, com diálogos perspicazes, usando muito bem o sarcasmo e tem uma boa mensagem feminista.

Trailer


FICHA TÉCNICA

Título: Aves de Rapina: Arlequina e sua Emancipação Fabulosa
Título Original: Birds of Prey: And the Fantabulous Emancipation of One Harley Quinn
Direção: Cathy Yan
Data de lançamento: 06 de fevereiro de 2020
Nota: 3,5/5
Warner Bros Pictures

Michele Lima
Compartilhe no Google Plus

Sobre O que tem na nossa estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

4 comentários:

  1. Olá, Michele.
    Nem estava sabendo sobre o filme hehe. Eu gostei do primeiro, não sei porque o povo falou mal. Mas também o povo fala mal de tudo hehe. Assim que der vou assistir.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  2. Eu tinha ouvido algumas críticas meio negativas. Adorei ler sua opinião porque me deixou mais animada para assistir.

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  3. Terem remomtado Esquadrão Suicida pra ficar com cara de Deadpool e a péssima caracterização da Magia estragou tudo e só mesmo a Arlequina é quem vale uma espiada e rouba o filme pra si - Margot nasceu pra viver essa personagem e era inevitável seu filme solo.
    Que bom que Aves de Rapina não era a bomba que estávamos esperando, já cansei de ser enganado pelos trailers, o do Esquadrão Suicida, por exemplo, era ótimo.

    ResponderExcluir
  4. Oi Mi,
    Fui ver o filme ontem e gostei bastante.
    O enredo de início foi meio bagunçado, assim como a cabeça da Harley Quinn, mas funciona!
    beeeeijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir