The English Game [Resenha da série]


The English Game é uma minissérie britânica baseada em fatos reais, idealizada por Julian Fellowes (de Downton Abbey) e é uma história linda para os amantes do futebol e para quem gosta de um bom drama histórico.

Em 1870 o futebol era um jogo amador (os jogadores não poderiam ser pagos) dominado pelos times da elite que inventaram as regras. Arthur Kinnard (Edward Holcroft) foi o jogador que mais participou de Copas da Inglaterra e venceu três vezes. Até 1879 nenhum time da classe operária havia chegado nas quartas de final, mas eis que aparece Fergus Suter.

Com a chegada de Suter (Kevin Guthrie) e Jimmy Lover (James Harkness) ao Darwen, os jogos amadores conheceram um novo tipo de futebol, um em que as estratégias começam a ter peso e os dirigentes questionados por suas regras que favorecem a elite. Ética passava muito longe da nobreza e do esporte, aliás, as faltas eram um verdadeiro atentado aos jogadores. 


Suter revolucionou logo no primeiro jogo organizando a distribuição de passes e ocupação dos espaços, dando amplitude nas jogadas. Além disso, mostrou a formação em 235. Simplesmente genial! No entanto, o protagonista tem sérios problemas familiares, uma família pobre, um pai violento e uma vontade imensa de livrar a mãe e as irmãs da péssima situação. E é por isso que Suter joga pra quem pagar mais, algo inédito e mal visto pela Associação de Futebol que não queria que o esporte fosse profissionalizado, ironicamente para salvar o futebol. Com uma mentalidade retrógrada e conservadora, os membros achavam um absurdo ganhar para jogar. 

Além de Suter, Arthur Kinnard é outro protagonista da série. Alma tinha toda razão sobre o marido, Kinnard não era uma má pessoa, mas o futebol tirava o pior dele, mas isso muda durante os seis capítulos da série. Vemos uma completa transformação do personagem que passa a entender a dificuldade dos operários e ter uma opinião diferente dos companheiros sobre a profissionalização do esporte. Arthur foi o primeiro entre os nobres a perceber que a Associação de Futebol tinha medo de perder para as classes mais pobres. Além disso, o protagonista passa também por um drama familiar ao perder um filho.


No núcleo de Suter temos outras tramas interessantes como a de Martha, mãe solteira, por quem o jogador se apaixona e Jimmy Lover que é um personagem extremamente carismático. Já no núcleo de Arthur, sua esposa Alma rouba a cena várias vezes, com sua perspicácia e sua dor por perder um filho. 

Na parte do futebol alguns pontos me chamaram atenção. As pessoas se uniam para escutar as notícias dos jogos e é incrível ver a emoção deles, exatamente como nós amantes do futebol sentimos até hoje, a diferença é que agora a gente não só se reúne nas ruas, mas também nos estádios ou virtualmente nas redes sociais para comentar as partidas. Outra cena que me chamou atenção é da população se unindo para ajudar o Darwen, mesmo sendo pobres eles fazem questão de ajudar financeiramente, o que me lembrou bastante do Vasco, em que os torcedores estão sempre fazendo campanha para contribuir com o clube. 


Vale lembrar que a série é baseada em fatos reais, mas obviamente há modificações. Fergus Suter jogou no Blackburn Rovers e perdeu a final de 1882 para os Old Etonians. Em 1883 Blackburn Olympic (time que o Suter não jogou) ganhou por 2 a 1 dos Old Etonians. Suter, na verdade, só conquistou a primeira de suas três FA Cup apenas em 1884. Outra modificação é sobre Jimmy Lover, já que não há registros do jogador ter chegado a Darwen junto com Suter, mas sim antes dele. No entanto, Arthur Kinnaird de fato se tornou presidente da FA. 

The English Game é uma série curta, de apenas seis episódios, e mesmo assim consegue enrolar um pouco em alguns momentos da trama e gostaria de ter visto mais cenas de futebol. No entanto, a trama é excelente e consegue nos envolver pelos dramas familiares dos personagens, uma excelente ambientação, contextualização histórica, figurino perfeito e ótima trilha sonora. Um produção lindíssima e que nos faz lembrar, mais uma vez, de que nunca, NUNCA, será só futebol.

Michele Lima
Compartilhe no Google Plus

Sobre O que tem na nossa estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

5 comentários:

  1. AAah quero muito assistir! Amei Downton Abbey e Belgravia e com certeza vou gostar dessa também.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe do #SorteiodaAmizade no twitter; três livros, um ganhador

    ResponderExcluir
  2. Oi Mi! Não curto futebol, na verdade não sou muito ligada em esportes e desta forma acho que não aproveitaria bem a série.
    Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  3. Fiquei bastante curiosa! Gostei do clima da série. Beijosss

    Segredosdamarii.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Não sou fã de futebol mas, gostei muito em saber que se trata de uma série baseada em fatos reais. Já quero me aventurar por esse motivo e porque estou começando nesse mundo enorme de séries.
    Beijos.

    https://www.parafraseandocomvanessa.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Uau! Que resenha! Nunca tinha ouvido falar dessa série e a achei bem interessante.

    Bom fim de semana!

    Jovem Jornalista
    Instagram

    Até mais, Emerson Garcia

    ResponderExcluir