Do Fundo da Estante: Rocky - Um Lutador [Nostalgia]


Gostem ou não de Sylvester Stallone, achem ele um ator bom, razoável ou ruim - ninguém pode negar que este roteiro de Rocky (1976), escrito por ele, é acima da média, emocionante e cheio de humanidade. Como não admirar o gente boa Rocky Balboa, um cara simples cujo sonho é vencer na vida? O caminho escolhido por ele não é de fácil identificação, não são todos que gostam de boxe, mas isso é apenas um detalhe, o que realmente importa é sua força de vontade. Stallone empresta corpo, alma e coração para Rocky Balboa, ganha o expectador pela intensidade de suas ações e ainda sobra tempo para se apaixonar pela tímida Adrian (Talia Shire) e quando os dois contracenam, ficamos diante de diálogos originais e aquela vontade de fazer coraçãozinho com as mãos.

Rocky não tem uma vida fácil. Ele trabalha como "cobrador" de um agiota, tem a chance de enfrentar Apollo Creed (Carl Wheathers), o campeão mundial dos pesos-pesados, que teve a ideia de dar oportunidade a um desconhecido como um golpe publicitário. Então Rocky decide treinar de modo intensivo, sonhando apenas em terminar a luta sem ter sido nocauteado por Apollo. Nessa caminhada, Rocky enfrenta o dilema entre ser o "ilustre desconhecido que não tem nada de especial" ou "o cara cujo universo conspirou a favor", bem desenvolvido no texto e na interpretação de Stallone. Ele consegue fazer essa transição de maneira precisa, construindo um dos personagens mais marcantes do cinema norte-americano. 


Muito mais do que simplesmente um "filme de luta" Rocky é um filme de perseverança, determinação e superação. É uma obra que nos trás muitas lições de vida e os mais variados tipos de valores e sentimentos. A inesquecível trilha sonora só torna tudo mais empolgante e a cena da escadaria já entrou pra história. Tudo aqui prima pela simplicidade, já que a estética tinha que estar adequada a história - e está.

É claro que um personagem deste com uma história tão bem escrita e desenvolvida não ficaria com um único filme. Foram cinco continuações até o momento (infelizmente nem todas no mesmo nível) e dois filmes derivados, Creed. Toda a série é digna de ser revisitada e talvez tenhamos nos próximos anos, Rocky 7 e Creed 3. Podem vir!

FICHA TÉCNICA

Título: Rocky - Um Lutador
Título: Rocky
Direção: John G. Avildsen
Data de lançamento no Brasil: 7 de janeiro de 1977
Nota: 4,5/5

Italo Morelli Jr. 
Compartilhe no Google Plus

Sobre O que tem na nossa estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

5 comentários:

  1. Oi, Ítalo! Tudo bom?
    Rocky é um desses clássicos que a vontade de rever nunca passa. O que eu amo nessa franquia é que além de ser muito foda, dela veio Creed e puuuuuutz que filme bom!

    Beijos, Nizz.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
  2. Olá Ítalo,

    Realmente é um dos clássicos do cinema e que fez parte da juventude de muitos, inesquecível. òtimo post.


    Abraço.


    https://devoradordeletras.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Um filme nostálgico e marcante. Adorei sua resenha.

    Bom fim de semana!

    Jovem Jornalista
    Instagram

    Até mais, Emerson Garcia

    ResponderExcluir
  4. Oi! Creed eu não tive vontade de ver, mas Rocky eu vi e revi muito. Eu adoro esses filmes. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  5. Olá, Italo.
    Assisti todos mas nada se compara ao primeiro. É emoção pura. Confesso chorei e choro todas as vezes que assisto hehe.

    Prefácio

    ResponderExcluir