O pequeno príncipe [Resenha Literária]


O pequeno príncipe foi publicado pela primeira vez em 1943, nos Estados Unidos, sendo a terceira maior obra traduzida (cerca de 160 idiomas) e é um dos livros mais vendidos no mundo todo. Mesmo que você não tenha lido o clássico, com certeza algo sobre ele já viu por aí, já que a obra ganhou diversas adaptações, cinema, teatros, musicais.

O livro é contado pelo autor do livro que é narrador e um dos protagonista da história que um dia sofre um acidente de avião e cai no deserto. Ao acordar encontra o Pequeno Príncipe, que pede para que ele desenhe um carneiro numa folha de papel. Interessante notar que o protagonista tem uma relação nada amigável com seus desenhos, uma vez que as pessoas não conseguem interpretá-los.

Ao longo da história o Pequeno Príncipe vai contando ao protagonista suas aventuras e sua busca por um carneiro para comer as árvores que crescem em abundância no seu lar, o asteroide conhecido por B 612, que teria apenas uma rosa vermelha e três vulcões (um deles inativo).


O Pequeno Príncipe tem uma trama simples, rápida de ler, mas é repleta de significados, numa narrativa um tanto poética. É por isso que mesmo sendo voltado ao público infantil agrada adultos até hoje por ter uma mensagem muito bonita sobre valorizar os sentimentos e as pequenas coisas da vida. Uma parábola sobre perda da inocência e do lúdico à medida que amadurecemos.

A obra é marcada por vários personagens interessantes, a começar pelo protagonista, o piloto que simboliza a persistência. Temos a Rosa, por quem o Pequeno Príncipe nutre muito amor e carinho, que é uma personagem dramática, temperamental e de certa forma também ingênua. Meu personagem preferido, a Raposa, um tanto misteriosa que se torna amiga do Pequeno Príncipe e responsável pelas frases que mais me tocaram no livro. 
“Os homens não têm mais tempo de conhecer coisa alguma. Compram tudo já pronto nas lojas. Mas como não existem lojas de amigos, os homens não têm mais amigos. Se tu queres um amigo, cativa-me!”

“Teria sido melhor voltares à mesma hora, disse a raposa. Se tu vens, por exemplo, às quatro da tarde, desde às três eu começarei a ser feliz.”
Já o Rei é um personagem engraçado que governa seu universo, mas só dá ordens as coisas que aconteceriam mesmo sem que ele mandasse. O rei é autoritário, mas ensina ao Pequeno Príncipe que não se pode exigir das pessoas aquilo que elas não podem dar. Em outro planeta encontramos o Bêbado que ironicamente bebe para fugir da vergonha de beber. O personagem simboliza a fuga da realidade. 


Outro personagem interessante é o Homem de Negócios, sempre muito ocupado, claramente uma caricatura dos adultos que passam a vida trabalhando para ganhar dinheiro sem conseguir de fato aproveitar muita coisa. Confesso que quando o Pequeno Príncipe passa pelo planeta do Acendedor de lampiões, fiquei um pouco agoniada. O personagem precisa acender o lampião de noite e apagá-lo de dia, mas o planeta gira muito rápido e o Sol se põe a cada minuto, tornando o trabalho do homem exaustivo. O Acendedor de lampiões simboliza o trabalhador que não tem senso crítico para questionar suas tarefas, simplesmente as fazem e pronto. 

O astrônomo turco foi o primeiro humano a descobrir o asteroide B-612. Infelizmente ninguém acreditou na sua descoberta por conta das suas vestimentas turcas. No entanto, anos depois com as vestimentas ocidentais revelou mais uma vez sobre o asteroide. Aqui Antoine de Saint-Exupéry claramente fala sobre xenofobia.

Já o Geógrafo é um homem inteligente que sabe bastante sobre outros lugares, mas nada sobre próprio planeta. É ele quem recomenda a Terra ao Pequeno Príncipe e que alerta ao personagem que as flores não duram pra sempre. Outro personagem que me chamou bastante atenção é o Vaidoso, quer ser o mais bonito, inteligente, mais rico, mas ironicamente vive sozinho no seu planeta. O Pequeno Príncipe é uma obra tão atual que ao ler esse trecho com o Vaidoso me lembrei das pessoas que vivem das aparências nas redes sociais.


E por fim, mas não menos importante, o Pequeno Príncipe que simboliza a infância, amor, esperança e inocência.

Hoje em dia todo mundo fala sobre viver na sua própria bolha, mas boa parte dos personagens do livro já faziam isso em seus planetas, cada um fechado em sua própria opinião e conhecimento de mundo, ao contrário do Pequeno Príncipe que sai do seu planeta e acaba entrando na bolhas dos demais, cativa e se deixa cativar por outras pessoas. No fim, queria voltar para sua amada Rosa, mas sem dúvidas muito mais maduro do que era quando partiu. 

E pra quem não sabe, a obra é inspirada por uma situação vivida por Saint-Exupéry, descrita com detalhes em seu livro de memórias em 1939. Infelizmente, o autor faleceu em outro acidente de avião.


O Pequeno Príncipe é um clássico com referências ainda muito atuais, poético, cheio de detalhes nas mais simples frases, um livro para ser lido e relido ao longo da vida! Destaque para a edição da Faro, com ótimas ilustrações.

FICHA TÉCNICA

Título: O pequeno príncipe
Autor: Antoine de Saint-Exupéry 
Onde Comprar: Amazon

 

Michele Lima
Compartilhe no Google Plus

Sobre O que tem na nossa estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

8 comentários:

  1. Oi, Mi!
    Eu achei tão singela sua resenha <3 Eu já li o comecinho do livro, mas nunca fui para frente porque quando eu era mais nova fiquei muito confusa com as metáforas sabe? Não estava entendendo nada e desisti de ler a obra. Nem sei se hoje eu leria, mas com sua resenha fica mais fácil entender o que o autor quis transmitir com essa história. Amei!
    Beijo
    http://www.capitulotreze.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi, Mi

    Eu costumo dizer que esse é um livro para adultos fantasiado de livro para crianças. Eu amo a história, demorei a ler e me arrependo de não ter lido mais jovem, pois este é um livro cuja absorção muda conforme vamos amadurecendo. Tenho até que reler para ver como vai ser a nova experiência.
    A resenha está ótima e a edição está linda!

    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  3. Oii, adorei sua resenha. Ainda não tive a oportunidade de ler quem sabe algum dia.
    Beijos
    https://deliriosdeumaliteraria.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Esse livro é um clássico que todo mundo deveria ler/ter! <3

    https://www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  5. Eu já tive um preconceito com esse livro, mas hoje em dia é um dos meus favoritos da vida.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  6. Oi Mi! Estou relendo e amando cada parte novamente. A cada leitura, absorvo novos significados e aprecio demais este aspecto da obra. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  7. Oi, Mi! Tudo bom?
    Eis um clássico que tá na lista dos 'preciso ler em algum momento da vida', só não sei quando. Minha mãe ama essa história de todo coração, e sei que vou adorar quando conseguir ler também!

    Beijos, Nizz.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oi Mi,

    Esse livro é tudo de bom. Acho que deveria ser leitura obrigatória a todos, pois é impossível não gostar.

    Bjs
    https://diarioelivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir