Os 7 de Chicago [Resenha do Filme]


Em 1968, durante a Convenção Nacional Democrata em Chicago onde a candidatura de Hubert H. Humphrey à presidência foi anunciada, diversos grupos protestaram contra A guerra do Vietnã. O governo já tinha uma ideia da quantidade de pessoas que estariam presentes no protesto e ainda assim não conseguiram evitar o tumulto. 

As coisas saem totalmente do controle e depois de um tempo, quando Richard Nixon assume a presidência, o novo procurador-geral resolve acusar um grupo de conspiração e incitar o tumulto que aconteceu em Chicago, algo visivelmente político. Tudo amplamente retratado pela imprensa na época e o julgamento foi um grande circo.

O roteiro e direção de Aaron Sorkin (A rede social) consegue nos prender do início ao fim, nos dá um breve contexto do que acontece antes do protesto para assim nos apresentar melhor cada personagem, até desenvolver com detalhes os dias do julgamento. O ritmo é excelente, dinâmico e os flashbacks são muito bem utilizados de forma que o filme não nos cansa, pelo contrário é um drama de nos tirar o fôlego.


Os personagens ajudam a fazer do julgamento algo ainda mais instigante. Temos os yippies Abbie Hoffman (Sasha Baron Cohen) e Jerry Rubin (Jeremy Strong), o jovem político Tom Hayden (Eddie Redmayne), Rennie Davis (Alex Sharp), David Dellinger (John Carroll Lynch), John Froines (Danny Flaherty), Lee Weiner (Noah Robbins) e ainda Bobby Seale (Yahya Abdul-Mateen II), co-fundador do Partido dos Panteras Negras, que é o fator que evidencia ainda mais a injustiça das acusações, uma vez que nem no tumulto ele estava. 

Cada personagem tem uma característica diferente e a oposição entre eles fica por conta de Abhie e Tom que possuem abordagens completamente diferentes no protesto. Enquanto um é mais radical o outro é mais diplomata, mas os dois acabam na mesma situação de acusação. Obviamente que um roteiro com tantos personagens alguns acabam tendo mais destaque do que outros, mas os principais acabam tendo suas cenas dramáticas.

Eddie Redmayne está excepcional, mas Sasha Baron Cohen foi pra mim um dos maiores destaques da trama, com um personagem inteligente e altamente debochado. Já as cenas de Yahya Abdul-Mateen II são as mais emocionantes e revoltantes sem dúvida. Destaque também para Mark Rylance, advogado de defesa William Kunstler, Joseph Gordon-Levitt como o procurador Richard Schultz e a participação especial de Michael Keaton como Ramsey Clark.


Os 7 de Chicago é baseado em fatos reais e Aaron Sorkin consegue moldar seus personagens e toda a situação do tribunal de modo ainda mais dramático. No entanto, não retira o fator essencial histórico em um “time” perfeito diante das eleições dos Estados Unidos onde a violência policial em está em pauta em território americano. É um filme sobre o passado, representa o presente e quem sabe até mesmo o futuro…

Trailer


FICHA TÉCNICA

Título: Os 7 de Chicago
Título Original: The Trial of the Chicago 7 
Direção: Aaron Sorkin
Data de lançamento: 16 de outubro de 2020
Netflix

Michele Lima
Compartilhe no Google Plus

Sobre O que tem na nossa estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

3 comentários:

  1. Oi Mi,
    Não conhecia o filme, a Netflix nem me avisou, não costumo ver obras assim, porém eu gosto muuuito do Eddie Redmayne, então assitiria por ele! rs
    beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. OI Mi! UM filme que parece ser bem empolgante de ver, fimes com julgamentos tendem a me fazer roer as unhas de expectativa pelo resultado final. Dica anotada. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  3. Olá,
    Um elenco maravilhoso, difícil não querer assistir. E a premissa muito pertinente para o momento atual.

    até mais,
    Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir