Mulan [Critica do Filme]


Mulan foi mais um filme que teve seu lançamento afetado pela Pandemia e foi para o streaming da Disney. Particularmente não fiquei triste de ter visto da minha casa, acho que no cinema minha decepção teria sido maior.

Desde o início Niki Caro deixa claro que a proposta de Mulan é diferente da animação, é um filme mais sério, com pretensões de ser grandioso, com cenários de guerra, mais figurantes, tudo bem diferente. Entendi e gostei da ideia, mas logo que começo a assistir ao filme me deparo com cenas tão exageradas e absurdas que no final das contas a proposta me pareceu incoerente. 

O longa começa com a narração do pai de Mulan Zhou (Tzi Ma), é sua versão sobre a história da filha! Mulan (interpretada por Crystal Rao quando criança, e adulta por Yifei Liu), possui um poderoso Chi (força interior) que a faz ter grandes habilidades, mas com isso ela tem uma enorme dificuldade de se adaptar ao padrão feminino da sociedade. Mulan não quer casar, ela quer ser livre, andar no seu cavalo, lutar, mas entende que para o bem da família precisa fazer sacrifícios e conseguir um marido. Neste ponto o filme mostra com bastante precisão a cultura chinesa da época, e toda a ambientação do vilarejo é excelente. 


Enquanto isso, o império chinês está sendo atacado por um grupo que quer vingança e tem ajuda de uma bruxa. Preocupado, o imperador determina que toda família deve mandar um homem para guerra. Como o pai de Mulan não teve filhos, ele mesmo, ainda que sem nenhuma condição física, é alistado. Sabendo que a morte do pai é iminente, Mulan rouba a esposa e a armadura do pai e foge para guerra no seu lugar.

Quando chega no acampamento, o grupo passará por um treinamento e Mulan enfrentará muitos obstáculos para esconder que é mulher. Essa parte do filme é a mais divertida, ainda que de modo geral o longa quase não possua alívio cômico. No entanto, na animação é justamente o treinamento que faz de Mulan uma guerreira excepcionai e no live-action a personagem já está pronta por conta do seu Chi. E se no original um dos pontos fortes foi o romance e ver Li Shang se debatendo com seus sentimentos, aqui nada disso apareceu. Honghui (Yoson An) é um amigo com uma personalidade extremamente apagada. Por outro lado, o conflito fica por Mulan que não se sente bem em esconder a verdade. 


As cenas de lutas, ainda que bem exageradas, me agradaram, são mostradas mais como arte do que guerra e nenhum sangue é mostrado. E foi interessante o embate entre Mulan e a bruxa Xian Lang (Gong Li), duas mulheres que não conseguem se encaixar na sociedade. Yifei Liu fez um ótimo trabalho, bastante carismática carrega boa parte do filme. Fotografia, trilha sonora, figurino e maquiagem também estão ótimos. Infelizmente, os efeitos especiais mais atrapalharam do que ajudaram em algumas cenas.

Apesar dos aspectos positivos do filme, não foi o suficiente para fazer o live-action de Mulan algo memorável. O roteiro retirou todos os pontos forte da história e não conseguiu trazer nenhum que fosse impactante. A ideia de ter um filme sério é boa, mas no final das contas Mulan conseguiu ficar mais raso, bem mais raso do que a animação. Uma decepção.

Trailer


FICHA TÉCNICA

Título: Mulan
Direção: Niki Caro
Data de lançamento no Brasil: 4 de dezembro de 2020
Disney Plus

Michele Lima
Compartilhe no Google Plus

Sobre O que tem na nossa estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

5 comentários:

  1. Oi Mi,

    Tambem não achei o filme memorável, tem pontos muito bons e outros a desejar. Confesso que esperava um pouco mais.

    Bjs
    https://diarioelivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Olá, Michele.
    Como não assisti a animação nem tenho com o que comparar. Para falar a verdade nem sabia a história antes de começar a ler resenhas sobre o filme hehe. E a sua opinião está sendo a mesma de muitas blogueiras.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  3. Oi Mi, assistir o filme. Eu sinceramente esperava mais do filme por ter assistido animação, mas converso que não foi tão ruim assim de assistir. Tanto a fotografia e a trilha sonora ficaram impecável.
    Beijos!
    https://deliriosdeumaliteraria.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Me gustó más la de animación. No conocía tu blog, me quedo de seguidora y te invito a que te pases por el mío si te apetece.
    Un abrazo y feliz día.

    ResponderExcluir
  5. Ei, Michele, tudo jóia? Eu não gostei desse filme, sendo bem sincera, ele tem alguns pontos negativos como você mesma mencionou. Mas os negativos se sobressaíram, e cadê o Mushu? :( Faltou muito, eu senti muita falta desse personagem. Mas eu entendo essa pegada mais séria do filme. Beijos!

    Books House

    ResponderExcluir