Meu Querido Abismo [Resenha Literária]


Embora pareça uma história para crianças, esse é um livro que aparentemente tem muito mais a contar. Meu Querido Abismo é uma leitura rápida e extremamente metafórica que parece a cada página estimular mais e mais a consciência crítica e a exploração do pensamento criativo.

Escrito em forma de prosa, Raphael Gancz apresenta uma espécie de mergulho no profundo as nossas mentes, fazendo diversas analogias com a profundidade do mar e do quão semelhante é essa exploração, possibilitando a descobertas de novas e revolucionárias ideias. Tudo isso, somado ao traço lindo de Mariana Coan, que ilustram um livro extremamente metafórico, que embora pareça simples tem um significado complexo que muito provavelmente eu não absorvi o suficiente em uma primeira experiência. 



A todo instante o autor trabalha com a metáfora de que o nosso inconsciente pensativo é como o mar, recheado de surpresas que vão surgindo conforme vamos nos aprofundando mais e mais. E esse fato se entrelaça com dados sobre espécies marinhas tão bem representadas sobre os desenhos de Coan.

Confesso que essa obra me pegou de surpresa e realmente me tirou da zona de conforto, não só pelo fato de me fazer ficar refletindo as curtas palavras que ela constantemente traz, mas também pela relação que as ilustrações têm nesse contexto. Óbvio que a leitura não seria a mesma sem esses elementos em uma junção. Eles estimulam facilmente seu questionamento. Por isso talvez esse ainda seja um caso em que se precise reler e mastigar um pouco mais tudo o que vi nesse livro.



Meu Querido Abismo à primeira vista pode parecer despretensioso, mas possui uma densidade enorme e uma riqueza reflexiva incomparável. 

FICHA TÉCNICA

Título: Meu querido abismo
Autor: Raphael Gancz 
Ilustração: Mariana Coan
Onde Comprar: DarkSide® Books / Amazon

 

Emerson Andrade
Compartilhe no Google Plus

Sobre O que tem na nossa estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

2 comentários:

  1. Oie!
    Eu acho incrível o quanto os autores de livros desse tipo, com poucas frases e muitas ilustrações, conseguem nos fazer refletir através das metáforas e nos deixar impactados com a simplicidade do que escrevem mas o arrombo que deixam. Eu acho que só li um livro assim que foi A parte que falta, e eu gostei muito também das reflexões que me trouxe. Com certeza não é uma leitura somente voltada para as crianças, e a edição está lindíssima.
    Beijo
    https://www.capitulotreze.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi, Emerson! Tudo bom?
    Eu tinha visto essa hq (GN?) na época do lançamento e fiquei bem interessada! Ainda tô. Eu amo traços e histórias simples que guardam tantos significados e discussões, e parece bem o caso, como você apontou!

    Beijos, Nizz.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir