O menino que se alimentava de pesadelos [Resenha Literária]


O menino que se alimentava de pesadelos é uma obra fictícia do K-Drama Tudo bem não ser normal da Netflix que conquistou uma legião de fãs ao redor do mundo e movimentou as redes sociais brasileiras a cada novo episódio lançado. Uma escritora de livros infantis peculiar, um enfermeiro que trabalha em um hospital psiquiátrico e seu irmão mais velho, com transtorno do espectro autista, precisarão enfrentar seus traumas e medos para conseguir vivenciar o amor e criar laços. O menino que se alimentava de pesadelos é o primeiro episódio da série.


Um conto de terror simples, com poucas páginas, mas cheio de significados. A história é bastante objetivo, tanto na mensagem quanto nas ilustrações bastante sombrias. De modo até poético temos um garoto que não consegue dormir com pesadelos e pede para uma bruxa ajudá-lo, mas o preço para se livrar das memórias que o assombram é que ele se torne um adulto feliz. Parece fácil, mas sem conseguir vivenciar as amarguras da vida, acaba sendo difícil.


É uma narrativa curta, triste, focada na solidão e depressão, mas também existe esperança e aprendizagem. As ilustrações mostram bem o sofrimento do personagem e é inevitável a comparação com o Tim Burton que também segue uma linha mais sombria e melancólica.


O menino que se alimentava de pesadelos tem uma estética que chama atenção e é um livro para crianças e adultos! Vale lembrar que Criança Zumbi e O Cão Alegre também fazem parte da série!

FICHA TÉCNICA

Título: O menino que se alimentava de pesadelos
Autor e Ilustração: Jo Yong e Jam San
Onde Comprar: Amazon

 

Michele Lima
Compartilhe no Google Plus

Sobre O que tem na nossa estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

2 comentários:

  1. Só o visual da história dá pra ver que ela é bem intensa. Não sei se leria por agora, mas eu me apaixonei pela edição.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  2. Olá, Michele.
    Logo que vi as imagens já pensei no Tim Burton hehe. Achei os traços muito bem feitos e vou anotar porque se der eu vou ler.

    Prefácio

    ResponderExcluir