The Good Doctor - 4ª temporada [Crítica da série]


David Shore, criador da série House, M.D, teve o difícil trabalho de criar outra série médica, não tão excêntrica como a anterior, mas igualmente perspicaz. The Good Doctor chegou ganhando atenção por conta de Shaun (Freddie Highmore) o protagonista autista. Com um roteiro cheio de dramas pessoais, a série aparentava ter um ótimo fôlego, mas a verdade é que sua terceira temporada teve um final tão desconcertante, estilo Grey’s Anatomy, que eu sinceramente temi pela quarta temporada.

Os três primeiros anos de The Good Doctor mostraram que Shaun era capaz de se adaptar ao mundo médico e lutar por vida amorosa como qualquer pessoa, sem dúvida, ponto alto do roteiro, mas ao mesmo tempo a série perdia um dos principais personagens e não conseguia andar com outros como Park (Will Yun Lee). Nessa temporada, vemos Claire (Antonia Thomas) sofrendo mais uma vez com o luto e Lim (Christina Chang) de estresse pós-traumático; a pandemia deixa marcas nos médicos. E no começo da série a abordagem da pandemia foi excelente, é incrível como Claire entre todos foi a que mais conseguiu passar o drama de ser médico tentando salvar seus pacientes contra o covid. Não que os demais também não tenham sofrido, mas com ela foi tudo mais palpável.


Glassman (Richard Schiff) sofre na pandemia principalmente por se sentir inútil e isso também afeta seu casamento que já dava sinais de problemas. É um plot que não fará falta na série pela falta de química do casal. No entanto, Morgan (Fiona Gubelmann) e Park formaram um par bem explosivo o que eu um gás maravilhoso para os personagens. Quanto ao Shaun, sua relação com Lea (Paige Spara) dá um salto gigante e eu achei que teria um retrocesso e fiquei feliz que isso não aconteceu. Aliás, Lea tem momentos bem dramáticos nessa temporada e fiquei feliz pelo alcance da personagem.

No final, The Good Doctor perde mais um personagem de extrema importância, mas a despedida foi bem condizente. O problema é que com tantas baixas na série, os produtores terão que investir em novos personagens ou dar espaço a outros e mais uma vez sigo preocupada com os rumos da série. De qualquer forma, a quarta temporada me pareceu mais consistente do que a anterior.

Michele Lima
Compartilhe no Google Plus

Sobre O que tem na nossa estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

3 comentários:

  1. Oi Mi! Eu vi a primeira temporada e curti, mas ultimamente não estou muito na vibe de séries médicas para seguir em frente. Quem sabe eu retome uma horas dessas. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  2. Olá, Michele.
    Eu tenho interesse nessa série desde que estreou por aqui. Ainda mais porque amo House e considero ela uma das melhores séries médicas. Vou tentar assistir agora que assino Globoplay.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  3. Caramba! Chocado! Quem sai nessa temporada? Não! Não me fale, ainda não assisti, mas fiquei totalmente desconsertado e chocado com a morte do dr. Mellendez. Não esperava, de forma alguma, por isso!

    Boa semana!


    Jovem Jornalista
    Instagram

    Até mais, Emerson Garcia

    ResponderExcluir