Do Fundo da Estante: A Lista de Schindler


O ano de 1994 foi um dos mais importantes para o diretor Steven Spielberg. Na cerimônia do Oscar ele conquistou 10 estatuetas, sendo 3 para o estrondoso Jurassic Park e mais 7 pelo colossal A Lista de Schindler, um dos maiores retratos sobre o nazismo.

A história real do alemão Oskar Schindler (Liam Neeson, ótimo), comoveu o mundo. Ele viu na mão-de-obra judia uma solução barata e viável para lucrar com negócios durante a guerra e com sua forte influência dentro do partido nazista, conseguiu as autorizações e abriu uma fábrica de panelas. O que poderia parecer uma atitude de um homem não muito bondoso, se transformou em um dos maiores casos de amor à vida da história, quando Oskar abdicou de toda sua fortuna para salvar a vida de mais de mil judeus, em plena luta contra o extermínio alemão.

A Lista de Schindler foi filmado num belíssimo p&b e nos moldes de um cinema clássico, porém atualizado, sem os excessos do melodrama da antiga Hollywood e com uma linguagem mais moderna. Não fosse assim, o repugnante personagem nazista Amon Goeth (Ralph Fiennes, assustador), não poderia ser tão cruamente retratado. Revisitando suas raízes judaicas, Spielberg realiza aqui o seu projeto mais pessoal e talvez por isso o mais arrebatador. Vai da tensão já treinada em Tubarão (1975) ao drama de Império do Sol (1987) com perfeição. Com o trio de intérpretes formado por Liam Neeson, Ben Kingsley e Ralph Fiennes à frente, o projeto ganhou mais força do que se tivesse nomes mais comerciais. 


Em nenhum momento A Lista de Schindler força pra ser didático, seu retrato de uma época tenebrosa que jamais deve ser esquecida e que ronda nosso presente é daqueles que deveriam ser obrigatório em todas as escolas e lares. Se o holocausto não tivesse acontecido, o roteiro seria uma das peças de filme de terror mais impactantes do cinema. Mas infelizmente, tudo e muito mais retratado dos seus quase 200 minutos aconteceu, resultando no extermínio de mais de 6 milhões de judeus. Há quem não considere o trabalho mais bem acabado do diretor, mas isso pouca importa - nada consegue diluir a importância histórica de A Lista de Schindler, nem sua força e nem seu impacto. É o tipo de cinema que pode mexer com a cabeça de toda uma geração, gerar debates e promover mudanças sociais por tempo indeterminado.

FICHA TÉCNICA

Título: A Lista de Schindler
Título Original: Steven Spielberg
Direção: Schindler's List
Data de lançamento: 31 de dezembro de 1993
Italo Morelli Jr. 
Compartilhe no Google Plus

Sobre O que tem na nossa estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

3 comentários:

  1. Oie, nunca cheguei a ver o filme, mas tenho muita vontade. O post me deixou ainda mais curiosa.

    Bjs

    Imersão Literária

    ResponderExcluir
  2. Oi Italo! Este filme é sempre bem recomendado e ainda quero poder conferir, já li muitas obras sobre o tema e apesar de pesado, acho muito válido saber mais sobre este período trágico da História. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  3. Olá, Italo.
    Eu gosto muito de leituras que se passam durante a Segunda Guerra. Mas esse filme eu ainda não consegui assistir. De uma época para cá eu procuro filmes mais leves para assistir e sei que esse vai acabar comigo hehe.

    Prefácio

    ResponderExcluir