Do Fundo Da Estante: Os Flintstones


Aguardado live action (na época esse termo nem existia) de uns dos desenhos mais bacanas já criados. Muito se especulou sobre o elenco e, exceto Rosie O'Donnell no papel de Betty, todos foram bem escalados. A verdade é que O'Donnell está meio fora do tom em sua participação, o que lhe rendeu um Framboesa de Ouro de pior atriz coadjuvante. Mas nada que comprometa o resultado final que equilibra bem o público alvo infanto-juvenil e que acaba servindo até para os mais adultos.

A série animada, lançada em 1960, ficou no ar até 1966 e teve um total 188 episódios, sempre afiada em suas críticas sociais. Talvez por esse motivo não tenha sobrado muitos elementos para que o longa tivesse um roteiro que causasse algum choque cultural em plena década de 90, ficando apenas na homenagem mesmo.

A reconstituição dos cenários é perfeita (os dinossauros pós Jurassic Park são impressionantes), o que por si só já valeria uma espiada, principalmente pra quem cresceu assistindo o seriado. No entanto, a nostalgia fala mais alto quando os personagens tão queridos e íntimos dos telespectadores aparecem na tela em carne e osso. John Goodman é Fred Flintstone, muito bem aqui depois de sua elogiada atuação em Barton Fink, de 1991. Ele e seu amigo Barney (Rick Moranis, bom também) trabalham juntos e são vizinhos, mas Fred é nomeado vice-presidente da empresa por dois vigaristas, dando início a todo tipo de encrenca. Nada muito difícil para o telespectador infantil e talvez um pouco simples pra quem espera algo mais consistente. Segue uma trama sem grandes reviravoltas na tentativa de manter o estilo do desenho e nunca resvalar para melodrama, o que coloca Os Flintstones como um dos melhores live actions oriundos de uma série de animação.


Se Kyle MacLachlan (do seriado Twin Peaks) não é tão memorável como o vilão, as participações de Halle Berry como a secretária Sharon Stone (isso mesmo!) e Elizabeth Taylor como a mãe da Wilma (Elizabeth Perkins) compensam. Tem também uma apresentação irresistível da banda B'52, infelizmente sem Ricky e Cindy Wilson, tocando a música tema.

O diretor Brian Levant, que estreou na carreira comandando um episódio da série Um Amor de Família (1987), dirigiu antes O Pestinha 2 (1991) e Beethoven (1992) e depois Um Herói de Brinquedo (1996) e a continuação Os Flintstones em Viva Rock Vegas, de 2000, com um elenco novo e com um resultado bem inferior.

Os Flintstones é uma boa pedida para uma sessão de cinema vespertina com muita pipoca.

Curiosidade: na série animada a personagem Beth foi dublada pela querida Laura Cardoso.

FICHA TÉCNICA

Título: Os Flintstones
Título Original: The Flintstones
Direção: Brian Levant
Data de lançamento: 14 de julho de 1994
Columbia Pictures do Brasil
Ítalo Morelli Jr.  
Compartilhe no Google Plus

Sobre O que tem na nossa estante

É amante de livros, filmes, séries e adora uma boa música. Escreve para O Que Tem Na Nossa Estante.

comentário(s) pelo facebook:

4 comentários:

  1. Oi, Ítalo. Tudo bom?
    Esse filme me dá muita sensação de nostalgia, assistia sempre que passava na Sessão da Tarde. É uma farofada da boa, tenho boas lembranças dele UHUHSAUHSAUHSA

    Beijos, Nizz.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi Ítalo, tudo bem?
    Os Flintstones são um dos meus desenhos preferidos da infância, eu já conferi tanto essa versão quanto a de 2000. Gosto de ambas, mas ainda prefiro os desenhos.

    *Bye*
    Marla
    http://loucaporromances.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Oi Italo! Eu assistia bastante o desenho animado e adorava ver as aventuras na Idade da Pedra. O live action não conferi, mas deve ser bem legal também. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  4. Nossa, que nostalgia! Eu amava o desenho e esse filme é muito maneiro mesmo. O elenco funcionou e chegaram bem perto da animação. E verdade, era um live action, antes do live action, haha.
    Bjks!

    Mundinho da Hanna
    Pinterest | Instagram | Skoob

    ResponderExcluir